Uma guitarra modelo Maton Masterhound MS-500 usada por George Harrison no último show dos Beatles no lendário The Cavern Club, em Liverpool, será leiloada. A estimativa é que alcance 300 mil libras esterlinas, ou seja, quase 1,5 milhões de Reais.

Curiosamente, o verão de 1963 foi o único período em que Harrison usou essa guitarra, já que sua guitarra principal era a Gretsh Duo Jet. Mas como estava passando por reparos, ele comprou a Maton Masterhound e depois a presenteou a Roy Barber, guitarrista do Dave Berry And The Cruisers, que ficou com o instrumento até sua morte, em 2000, quando foi doada ao The Beatles Story, o museu oficial da banda em Liverpool. O museu vendeu a guitarra a um colecionador particular por 400 mil libras. Como o lance inicial do leilão é menor do que isso, pode esperar que a venda final será bem mais alta dessa vez.

beatles live in the cavern club front
Os Beatles no The Cavern Club, em 1962.

O último show dos Beatles no Cavern Club ocorreu em 03 de agosto de 1963, num momento em que a banda já era sucesso em toda a Europa, havia acabado de lançar o single She loves You e estava prestes a por nas lojas o segundo álbum, With The Beatles, que sairia no dia 22 do mesmo mês.

A banda criou uma relação íntima com o Cavern por se tornar o grupo residente da casa, com shows na hora do almoço durante a semana e apresentações noturnas nos finais de semana. Inclusive, se apresentaram pela primeira vez no local em 1958, quando ainda atendiam pelo nome de The Quarrymen e eram uma banda de Skiffle e o clube sede de shows de jazz.

Beatles_cavern_club 1962 with ringo
Os Beatles ao vivo no Cavern Club, em 1962.

Mas sob o nome The Beatles, a banda estreou no lugar em fevereiro de 1961 e realizaram aproximadamente 292 apresentações até abril de 1963, quando o sucesso nacional e internacional levou o grupo para espaços maiores.

O concerto de 03 de agosto de 1963 foi um tipo de despedida oficial da banda de seu primeiro espaço e de seus primeiros fãs. Vários outros conjuntos tocaram no dia, com um programa que iniciou às 18h e seguiu até às 23h30. O empresário dos Beatles, Brian Epstein limitou os ingressos a 500 pessoas (muito pouco para a escala de sucesso dos Beatles) e a venda dos tickets se encerrou em apenas 30 minutos. A quantidade de pessoas era tão grande para o espaço reduzido do Cavern, que o calor se concentrou no teto de pedra do recinto – que fica no subsolo – e condensou, caindo como água em cima das pessoas e molhando as paredes.

Dois membros da banda desmaiaram de calor e durante o show dos Beatles a energia não segurou e caiu. John Lennon e Paul McCartney apresentaram um número acústico, apenas com violões, tocando When I’m sixty four (canção que só seria lançada em disco quatro anos depois), enquanto o problema era reparado.

Embora, Epstein tenha prometido que os Beatles voltariam algum dia ao Cavern, isso nunca aconteceu.

Cavernclub outsideInaugurado como uma casa de jazz em 1957, o The Cavern Club era um pub subterrâneo (dois andares baixo do solo) originalmente construído para ser um armazém de cereais e se tornou um ponto de encontro da juventude de Liverpool, com apresentações musicais diárias na hora do almoço e shows noturnos às sextas e sábados, deixando o jazz de lado e abraçando a nascente onda do novo rock britânico a partir de 1960, quando a banda Rory Storm and the Hurricanes (cujo o baterista era Ringo Starr) fez o primeiro show de rock do lugar.  Os Beatles tocaram pela primeira vez usando esse nome e tendo John Lennon, Paul McCartney e George Harrison em sua formação em fevereiro de 1960 e rapidamente se tornaram a banda oficial da casa até se tornarem um sucesso internacional em 1963.

The_Cavern_Club_interior,_Mathew_Street,_Liverpool,_2012O Cavern prosseguiu em atividade e mudou de proprietário pela primeira vez em 1966, quando ampliou suas instalações para os edifícios vizinhos (incluindo um café no nível térreo); mas foi comprado pela British Railways em 1973 e parcialmente demolido para a construção de um tubo de ventilação para uma nova linha do metrô de Liverpool. O duto nunca foi construído e o porão em que o clube ficava não foi destruído (apenas os níveis superiores do prédio). O Cavern chegou até a ganhar uma réplica construída do outro lado da rua, mas um grupo de investidores comprou o antigo sítio e reconstruiu o Cavern em seu local original, usando os mesmos tijolos de antes, e o clube foi reaberto ao público em 1984. Desde 1992, uma empresa chamada Cavern City Tours, especializada em turismo relacionado aos Beatles, é proprietária do lugar, que continua em plena atividade, tanto com bandas covers dos Beatles, como antigos músicos da cena beat de Liverpool e artistas renomados da atualidade. Desde então, artistas como Oasis, Arctic Monkeys e Adele fizeram shows no Cavern, e o ex-beatles Paul McCartney se apresentou no lugar em 1999 e alguns dias atrás, em julho de 2018.