Não foi exatamente com surpresa que a 21th Century Fox anunciou hoje a demissão do diretor Bryan Singer de Bohemian Rhapsody, cinebiografia do cantor Freddie Mercury e da banda Queen. Singer não retornou à produção do filme após o feriado de Ação de Graças e os representantes do diretor (e o estúdio) haviam dito que isto tinha ocorrido por causa de problemas de saúde na sua família.

Hoje veio a confirmação da demissão e a revelação de que Singer estava tendo problemas e batendo de frente com o protagonista Rami Malik, que interpreta Mercury, e que outros membros do elenco tinham até se afastado do filme é retornado após conciliações. Segundo fontes, Malik se queixava que Singer não era profissional no set de filmagens e constantemente faltava as gravações.

Também não é possível esquecer que pesam sobre Singer três acusações de estupro de meninos menores de idade, todos arquivados por falta de provas, mas que não são boas adesões no currículo em tempos de campanha em Hollywood contra o abuso sexual.

Não foi divulgado quem assumirá a direção de Bohemian Rhapsody, mas os planos são retomar os trabalhos depois das festas de ano novo.