Morreu aos 82 anos o fotógrafo Robert Freeman, famoso por ter sido o primeiro a trabalhar com destaque com os Beatles, sendo o responsável pelas fabulosas capas de With The Beatles (1963), Beatles For Sale (1964) e Rubber Soul (1965). A causa da morte não foi revelada ainda pela família.

Robert Freeman com a capa de A Spaniard in the Works atrás de si.

Robert Freeman nasceu em Cambrige, na Inglaterra, em 1936, e em 1961 iniciou a carreira de fotógrafo, ganhando imediata reputação com seu trabalho no Sunday Times, em especial após conseguir uma fotografia de Nikita Khrushchev, o premier da União Soviética, no Kremlin, em Moscou. Em 1963, Freeman realizou as fotos do primeiro Calendário da Pirelli, lançado no ano seguinte, e que virou um fenômeno da moda e um grande evento midiático anual.

John Coltrane por Robert Freeman.

Fã de música, Freeman aproveitou a realização de um festival de Jazz em Londres para realizar uma famosa coleção de fotografias em preto e branco dos músicos, como John Coltrane. Isso o levou aos Beatles, impressionando o empresário da banda, Brian Epstein, que após avaliar o material, o convidou a se unir à turnê pelos teatros que a banda fazia. Naquele momento, no verão de 1963, os Beatles tinham lançado apenas seu primeiro álbum (Please Please Me) e atingido o primeiro lugar das paradas também com dois compactos, Please please me e From me to you. A fama apenas começava a se espalhar pela Europa.

A capa de With The Beatles.

Freeman encontrou os Beatles em Bournemouth, no Palace Court Hotel, na qual realizou sua primeira sessão de fotos da banda. Usando a sala de refeições do hotel, com suas grossas cortinas e a luz natural de uma grande janela, Freeman capturou a belíssima imagem que se transformou na capa do próximo álbum, With The Beatles, que chegaria às lojas em 22 de novembro de 1963, e também chegou ao 1º lugar das paradas.

A capa de A Hard Days’ Night

Dali em diante, Freeman acompanhou os Beatles em inúmeros ensaios fotográficos, ao vivo, em estúdio, gravando, e em cenas do cotidiano. Para criar o efeito cinematográfico que o filme homônimo exigia, o fotógrafo criou a capa do álbum A Hard Days Night (1964), formado por sequências de cinco pequenas fotos de cada um dos membros da banda. Em seguida, capturou a banda em um belíssimo cenário de outono para a capa (e contracapa) do álbum Beatles For Sale (1964).

A capa de Beatles For Sale.

Freeman também produziu as capas dos dois livros de poemas e contos escritos por John Lennon, In His Own Write e A Spaniard in the Works, publicados em 1964 e 1965.

A capa de Help!

Para corresponder ao filme homônimo, em que em uma das cenas os Beatles vão aos Alpes Suíços, Freeman criou a capa de Help! (1965) na qual num cenário branco (para emular a neve) os músicos fazem sinais da linguagem de socorro. O último trabalho com os Beatles foi a capa (e as imagens da contracapa) do álbum Rubber Soul, no qual a banda é captada nos jardins da casa de John Lennon em Keywood, bem próxima da lente e com um efeito alongado e distorcido.

A capa de Rubber Soul.

O fotógrafo continuou trabalhando com jornalismo, moda e fez alguns filmes. Em 1990, seu trabalho com os Beatles foi resumido no livro The Beatles: A Private View, que ganhou uma nova edição em 2003; e também expôs o material na Snap Gallaries em Londres, em 2013. Mas vinha sofrendo de problemas de saúde desde 2015, quando sofreu um infarto, o que levou sua família a leiloar uma fotografia de John Lennon segurando um urso panda de pelúcia para financiar seu tratamento.

A história de Freeman com os Beatles – e com John Lennon em particular – tem um elemento anedótico importante. O fotógrafo ficou bastante próximo da banda e começou a namorar uma bela modelo alemã, Sonny Drane, que ele conheceu nas sessões do Calendário da Pirelli de 1964. Mas Sonny terminou tendo um caso amoroso com Lennon, que era casado com Cynthia Powell.

A modelo alemã Sonny Drane.

O romance durou mais de um ano e, segundo a própria Sonny, em revelação ao escritor Phillip Norman, que escreveu a biografia de Lennon, ela foi a inspiração para a canção Norwegian wood (this bird has flown), que está no álbum Rubber Soul. Lennon já havia dito em uma famosa entrevista à Rolling Stone, em 1970, que a compôs disfarçadamente sobre um caso extraconjugal. A teoria é endossada pela própria Cynthia Lennon, que em sua autobiografia descreve uma cena (por volta de 1965) na qual Robert Freeman e Sonny Drane chegaram à casa do casal em Keywood, com o fotógrafo muito raivoso e a modelo chorando exigindo falar com Lennon. E o casal se separou pouco depois disso.

Cynthia presumiu que o motivo era um caso com Lennon, embora nunca tenha sabido da verdade. Ela e Lennon se divorciaram em 1968, após o músico engatar o romance com a artista plástica Yoko Ono, com quem viveria até o fim da vida, quando Lennon foi assassinado por um fã com problemas mentais, em 1980.

Sonny Drane e John Lennon nos sets de filmagens do filme Help!, em 1965.

Coincidência ou não, Freeman encerrou sua parceria com os Beatles após a capa do Rubber Soul, lançado em dezembro de 1965. Apesar disso, em mais de uma ocasião, tanto Paul McCartney quanto Ringo Starr, os membros sobreviventes da banda, afirmaram que Freeman havia sido o fotógrafo favorito dos Beatles e que realizou as melhores fotos da banda.