A equipe principal dos Vingadores atualmente: não nenhum deles está aqui neste post.

Dando continuidade ao nosso post sobre os membros dos Vingadores.

Leia a Parte 01 aqui: https://hqrock.wordpress.com/2011/06/20/os-principais-membros-dos-vingadores/.

Na parte 01 apresentamos os membros originais (Homem de Ferro, Thor, Hulk, Vespa e Gigante/Homem-Formiga) e os principais membros posteriores (Capitão América, Gavião Arqueiro, Viúva Negra, Visão, Feiticeira Escalarte, Pantera Negra, Magnum, Miss Marvel, Homem-Aranha, Wolverine e Luke Cage), além de Nick Fury. Nessa primeira parte foram priorizados, também, aqueles personagens que farão parte do universo cinematográfico da equipe.

Agora, chegamos ao “segundo escalão“, listando outras personagens fundamentais na história do grupo, tanto do período clássico quanto das histórias atuais. Fique conhecendo um pouco mais sobre os principais heróis que ingressaram este seleto grupo de aventureiros.

Máquina de Combate (War Machine): sucessor do Homem de Ferro.

MÁQUINA DE COMBATE (WAR MACHINE)

O ex-fuzileiro naval James Rhodes se tornou amigo de Tony Stark quando ainda era soldado. Depois de “dar baixa”, Rhodey como é conhecido, passou a trabalhar como piloto e guarda-costas ao amigo. Descobrindo que Stark era o Homem de Ferro, Rhodes terminou por vestir a armadura algumas vezes, inclusive, substituindo o amigo quando este sucumbiu ao alcoolismo. Como o Homem de Ferro II, Rhodes participou dos Vingadores, da saga Guerras Secretas e da fundação dos Vingadores da Costa Oeste. Mais tarde, quando Stark reassumiu sua identidade, Rhodes passou a usar uma armadura modificada, adotando o codinome Máquina de Combate, quando também fez parte dos Vingadores da Costa Oeste.

James Rhodes apareceu pela primeira vez em Iron-Man 118, de 1979, criado por David Michelline, John Byrne e Bob Layton. A armadura de War Machine surgiu em 1991 com design de Len Kaminski e Kevin Hopgood. A personagem aparece nos dois filmes do Homem de Ferro lançados até agora, inclusive, usando sua armadura no segundo.

Fera: dos X-Men para os Vingadores. Arte de Jim Lee.

FERA

O cientista mutante Hank McCoy foi membro-fundador dos X-Men e participou de outros grupos da Marvel, como Os Novos Defensores e os Vingadores. Ele ingressou nos Vingadores em Avengers 137 de 1975 e foi efetivo durante todo o restante da década. Nos anos 1980, voltou aos títulos mutantes (X-Factor, X-Men) e só raramente se envolveu com os Vingadores. Foi criado em 1963 por Stan Lee e Jack Kirby.

NAMOR

Namor: de inimigo da humanidade a vingador. Arte de Gene Colan.

O Príncipe Submarino é um mutante, filho de uma Atlante com um Humano. Quando se tornou adulto, Namor McKenzie usou suas habilidades (força, vôo, invulnerabilidade) para atacar a humanidade, em represália à poluição dos mares. Mas a eclosão da II Guerra Mundial deu a Namor e à humanidade uma série de inimigos em comum e ele ingressou às fileiras para derrotar os Nazistas. Inclusive, se aliou ao Capitão América e ao Tocha Humana original e fundou Os Invasores, o primeiro supergrupo de heróis. Mas depois do fim da Guerra, Namor ficou amnésico e passou décadas vivendo como um mendigo nas ruas de Nova York até que o novo Tocha Humana (membro do Quarteto Fantástico) o descobriu e reativou sua memória. Namor descobriu que a Atlântida tinha sido destruída por explosões nucleares e novamente se voltou contra a Humanidade.

Nesse intuito, ele combateu o Quarteto Fantástico e os recém-fundados Vingadores. Numa dessas batalhas, terminou, sem querer, reavivando o Capitão América, que estava congelado em um bloco de gelo no Ártico desde o fim da Guerra. Com o passar do tempo, Namor reviu seus conceitos e deixou de atacar os humanos, estabelecendo uma tênue aliança. Por isso, foi um dos fundadores dos Defensores, com o Hulk e o Dr. Estranho.

Mais tarde, quando foi deposto do trono da Atlântida por um levante civil, Namor terminou se aliando aos Vingadores e ingressando como membro efetivo pela primeira vez. Mas seu temperamento intempestivo não o permite ficar na equipe por muito tempo. Ultimamente, ele age ao lado dos X-Men, já que também é um mutante.

Namor foi uma das primeiras personagens da Marvel Comics, criado por Bill Everrett em 1939. Ele ingressou no Universo Marvel moderno em Fantastic Four 03, de 1962, por Stan Lee e Jack Kirby; e resgatou o Capitão América em Avengers 04, de 1964, pela mesma dupla criativa. Tornou-se membro dos Vingadores em Avengers 262, de 1985, pelas mãos de Roger Stern e John Buscema.

Mulher-Aranha: a impostora e a verdadeira fizeram parte da equipe. Arte de David Finch.

MULHER-ARANHA

No fim dos anos 1970, a Marvel decidiu criar uma série de personagens femininas para atrair essa faixa de público (o que deu certo). E também aproveitou para fazer surgir versões femininas de heróis já existentes, como maneira de garantir direitos autorais sobre seus nomes. A primeira dessas foi a Mulher-Aranha (Jessica Drew), que apareceu em Marvel Spotlight 32, de 1977, por Artie Goodwin, Sal Buscema e Jim Mooney. Em seguida, ela ganhou uma revista própria que teve mais de 40 edições.

A segunda Mulher-Aranha: também vingadora.

Em 1984, na maxissérie Guerras Secretas, surgiu uma segunda Mulher-Aranha (Julia Carpenter), com um uniforme negro, criada pelo Editor-Chefe da Marvel na época, Jim Shooter, e pelo desenhista Mike Zeck. Esta nova heroína ingressaria os Vingadores da Costa Oeste em West Coast Avengers 74, de 1991, e depois a Força Tarefa do Homem de Ferro.

Mas a Mulher-Aranha original voltou ao Universo Marvel nos anos 2000 fazendo parte dos Novos Vingadores, nas histórias de Brian Michael Bendis e David Finch a partir de New Avengers 01, de 2005, embora tenha sido revelado mais tarde que se tratava de uma impostora, a Rainha Skrull. Depois disso, a verdadeira Jessica Drew também passou a ingressar o grupo.

Cavaleiro Negro.

CAVALEIRO NEGRO

Criado como um vilão nas histórias do Gigante e da Vespa (por Stan Lee e Don Heck), o Cavaleiro Negro ingressou a primeira formação dos Mestres do Terror (por Lee e Jack Kirby) nas primeiras edições de Avengers. Porém, depois foi criado um novo Cavaleiro Negro, sobrinho do original, que se transformou em um herói e membro dos Vingadores a partir de Avengers 71, de 1969, por Roy Thomas e John Buscema. Mas Dan Whiteman só se tornou um membro efetivo de verdade nos anos 1980, na longa temporada de Roger Stern e John Buscema no título. Ele foi um dos protagonistas da revista na fase de Bob Harras e Steve Epting, no início dos anos 1990, mas depois disso, apareceu apenas ocasionalmente.

Hercules em confronto com Thor: amigos, mas nem tanto.

HERCULES

Thor não é o único deus mitológico convertido em herói da Marvel. O semideus Hercules (originalmente Heracles) também é. Filho de Zeus (o todopoderoso) com uma mortal, Hercules é absolutamente forte e ficou famoso por integrar os Argonautas e por realizar os 12 trabalhos. Além disso, era um exímio arqueiro e sua arma foi herdada por Filocteto, herói que, na mitologia grega, desempenha papel fundamental na conclusão da Guerra de Tróia, justamente usando a arma. Nos quadrinhos, o semideus foi apresentado como um oponente de Thor na revista Journey Into Mystery Annual 01, de 1965, por Stan Lee e Jack Kirby. Mais tarde, após outra aparições, ele terminou se integrando aos Vingadores em Avengers 38, de 1967, por Stan Lee e Don Heck. Ao longo dos anos seguintes, sua participação na equipe foi apenas esporádica, mas ele tornou-se um membro constante e importante nos anos 1980 na longa fase de Roger Stern e John Buscema. Voltou a ter protagonismo no início dos anos 1990 na temporada de Bob Harras e Steve Epting. Nos últimos anos, tem atuado pouco com a equipe, mas ganhou um papel de mais destaque no Universo Marvel, inclusive, “herdando” a revista do Hulk.

Falcão: primeiro herói americano afrodescendente. Arte de Gene Colan.

FALCÃO

Falcão e seu visual atual: membro não efetivo.

Em 1966, o Pantera Negra [veja a Parte 01 do post] se tornou o primeiro superherói negro dos quadrinhos, mas como ele é originário da África, foi o Falcão o primeiro heroi americano afrodescendente. Ele surgiu nas histórias do Capitão América, em Captain America 117, de 1969, por Stan Lee e Gene Colan. De imediato, o Falcão tornou-se uma figura importante na trama das histórias, ao ponto do nome da revista mudar para Captain America & the Falcon, assim permanecendo durante boa parte dos anos 1970. Ao longo do tempo, a personagem serviu como catalisador para discussões sobre os problemas sociais dos Estados Unidos, em particular do Harlem, em Nova York, como na temporada de Steve Englehart e Sal Buscema na primeira metade dos anos 1970 e, também na temporada de Jack Kirby, entre 1975 e 1976. Por isso, Sam Wilson é apresentado como um Assistente Social. Ele ingressou nos Vingadores pela primeira vez em Avengers 184, de 1979, mas ressentido por ter sido incluído apenas como “cota racial” imposta pelo governo, logo se desligou. Ele voltou à equipe ocasionalmente no futuro e tornou-se uma espécie de agente independente e de apoio aos Novos Vingadores, nos últimos anos.

Capitão Marvel: nunca um membro efetivo, mas condecorado como "membro honorário". Arte de Gil Kane.

CAPITÃO MARVEL

Tecnicamente, o Capitão Marvel nunca foi membro dos Vingadores, mas por ter vivido várias aventuras ao lado do grupo, após sua morte, lhe foi concedida uma nomeação de “membro honorário“. Ele foi criado por Stan Lee e Gene Colan em 1967, aparecendo em Marvel Super-heroes 12. Ele era membro da raça alienígena Kree (que surgiu nas histórias do Quarteto Fantástico) chamado Mar-Vell que vinha à Terra espionar os humanos, mas terminava se afeiçoando a eles e aliando-se aos terráqueos contra seu povo de origem. Tendo despertado algum interesse, ele ganhou uma série própria, com a mesma dupla criativa, no ano seguinte. Mas as vendas não foram muito boas, então, em Captain Marvel 17, de 1969, o herói sofreu uma reformulação, ganhando um novo uniforme (o seu mais famoso), novos poderes e uma contraparte humana, dividindo o corpo com o jovem Rick Jones, mudanças implementadas por Roy Thomas e Gil Kane. Fortemente baseadas em aventuras cósmicas, as revistas não conseguiram sucesso e o título foi cancelado no número 21, em 1970. mas Thomas reaproveitou o personagem na revista dos Vingadores, que também escrevia, com o Capitão Marvel desempenhando um papel central na Guerra Kree-Skrull, publicada entre 1971 e 1972, com desenhos de John e Sal Buscema e Neal Adams.

Nos anos 1970, quando a Marvel instituiu um núcleo de aventureiros cósmicos, o Capitão Marvel voltou a ter sua revista publicada a partir do número 22, em 1972, mantendo vendas baixas até ser cancelada em 1979. O principal artista desse período foi o escritor/desenhista Jim Starlin. Ele envolveu bastante o herói com os outros da Marvel, especialmente os Vingadores, e o tornou o principal Guardião do Espaço da editora. Mas problemas de propriedade de nome com o Capitão Marvel (também conhecido como Shazam) da DC Comics, levaram a Marvel a cancelá-lo. Ele ganhou uma cultuada graphic novel chamada A Morte do Capitão Marvel, escrita e desenhada por Starlin na qual falece vítima de câncer.

O seu legado deixou a Miss Marvel (veja na Parte 01) e a Capitã Marvel.

Capitã Marvel: representante da força feminina nos anos 1980. Arte de John Romita Jr.

CAPITÃ MARVEL

Criada em uma história do Homem-Aranha em Amazing Spider-Man Annual 16, de 1982, por Roger Stern e John Romita Jr., Monica Rambeau, ela ingressou os Vingadores a partir de Avengers 227, nas mãos do mesmo Stern, com desenhos de John Buscema. Durante a maior parte dos anos 1980 (a temporada de Stern) ela foi um membro importante do grupo e chegou até a ser a líder. Mas foi muito pouco usada pelos escritores seguintes.

Punho de Ferro: ingressou nos Novos Vingadores.

PUNHO DE FERRO

No início dos anos 1970, a Marvel diversificou bastante sua produção e criou vários núcleos (terror, espaço sideral, artes marciais e os herois tradicionais). Entre as personagens de artes maciais, teve destaque a criação do Punho de Ferro em Marvel Premiere 15, de 1974, por Roy Thomas e Gil Kane. Ele teve uma série de histórias naquele título e, com a popularidade, ganhou uma revista solo nas mãos do escritor Chris Claremont e do escritor/desenhista John Byrne, entre 1975 e 1977. Com o cancelamento, migrou para revista de Luke Cage, Power-Man, de modo que mudou seu nome para Power-Man and Iron Fist a partir do número 50 e seguindo até o cancelamento no número 125, em 1986. A partir de então, continuou aparecendo esporadicamente no Universo Marvel, mas só se restabeleceu de fato nos anos 2000, quando foi integrado ao elenco da revista do Demolidor, escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por Andy Lark. Em seguida, Bendis e o desenhista Frank Cho o incluiram na formação dos Novos Vingadores, juntamente ao amigo Luke Cage. Voltou a ter histórias solo, num elogiado trabalho dos escritores Ed Brubaker e Matt Fraction e do artista espanhol David Aja. Atualmente, Daniel Rand continua ligado ao grupo.

Dr. Estranho: o mais poderoso mágico da Marvel.

DR. ESTRANHO

O principal mago do Universo Marvel, o Dr. Estranho foi criado por Stan Lee e Steve Ditko em 1962. Suas histórias fizeram sucesso em meio à psicodelia dos anos 1960, mas não teve muito destaque na época. Isso começou a mudar nos anos 1970, quando o escritor Steve Englehart e o desenhista Ross Andru o colocaram como um dos fundadores dos Defensores, juntamente com o Hulk e Namor. Ao mesmo tempo, voltou a ter histórias solo clássicas nas mãos do mesmo Englehart e com desenhos de Gene Colan. Curiosamente, o Dr. Estranho nunca teve grandes envolvimentos com os Vingadores até os anos 2000, quando o escritor Brian Michael Bendis e o desenhista Frank Cho o incluiram na formação dos Novos Vingadores.

Agente Americano: violento, mas com boas intenções.

AGENTE AMERICANO (US AGENT)

O ex-soldado John Walker foi criado pelo escritor Mark Gruenwald e o desenhista Paul Neary nas aventuras do Capitão América em Captain America 323, de 1986, quando assume a identidade de Superpatriota. Pouco mais tarde, o mesmo escritor e o desenhista Tom Morgan criaram uma trama em que o Governo dos EUA tenta obrigar o Capitão América a trabalhar para ele (e fazer “trabalhos sujos”) e como este se nega, o Governo decide tirar-lhe o direito de uso do uniforme. Na busca por um substituto para o herói original, John Walker é o escolhido e se torna o novo Capitão América. Mas pouco a pouco, ele se mostra uma pessoa desequilibrada e violenta, ao ponto do Governo voltar atrás, tirar-lhe o uniforme e devolvê-lo ao original. Logo depois, Walker sofre um atentado e é dado como morto. Mas sobrevive e o Governo lhe dá uma nova identidade, Jack Daniels, e o transforma no Agente Americano. Uma de suas primeiras missões é justamente entrar nos Vingadores da Costa Oeste, onde atua como um tipo de interventor e líder, as histórias da equipe escritas por John Byrne a partir de 1989. Apesar dessa situação, ele terminou aceito definitivamente na equipe e, quando os Vingadores da Costa Oeste foram extintos, se uniu aos remanescentes na equipe chamada Força Tarefa, liderada pelo Homem de Ferro. Permanece ligado aos Vingadores e atua com o grupo ocasionalmente.

Sentinela: "o poder de um milhão de sóis explodindo" é seu lema.

SENTINELA

Poucas personagens dos quadrinhos são mais complexas do que o Sentinela (The Senty), criado por Paul Jenkins, Rick Veight e Jae Lee em 2000. Apareceu pela primeira vez em sua própria minissérie dentro do selo Marvel Knights comandado pelo editor-desenhista Joe Quesada e dedicado a histórias de teor mais adulto e sombrio. Na trama, Robert Reynolds é um poderosíssimo superser (pretensamente o mais poderoso de todos dentre o Universo Marvel) e seria um herói da primeira geração (junto ao Quarteto Fantástico), mas teria sido apagado da mente de todos, inclusive da dele mesmo. A personagem intrigou os leitores e teve um conjunto de minisséries que iam o incluindo no Universo Marvel. Em 2005, passou a integrar a trama da nova revista dos Novos Vingadores, por Brian Michael Bendis, tornando-se parte da equipe a partir do número 07. Ao mesmo tempo, sua história foi “desvendada” em outra minissérie comandada por Jenkins e desenhada por John Romita Jr., numa obra difícil, mas fascinante. Entretanto, o desequilíbrio de Reynolds o levou a se aliar ao vilão Norman Osborn (o velho Duende Verde) e passou a integrar os Vingadores Sombrios (Dark Avangers) comandados por ele, na explosiva revista escrita por Bendis e desenhada pelo brasileiro Mike Deodato Jr. O Sentinela desempenha um papel fundamental na saga O Cerco publicada em 2010.

Mulher-Hulk: a prima de Bruce Banner.

MULHER-HULK

Outras das personagens femininas criadas pela Marvel no final dos anos 1970 (como Mulher-Aranha, Miss Marvel etc.), a Mulher-Hulk foi criada por Stan Lee e John Buscema como Jennifer Walters, uma advogada que é prima de Bruce Banner, o Hulk. Quando ele vai visitá-la em busca de ajuda, a garota termina baleada e, para salvar-lhe a vida, Banner faz uma transfusão de sangue que termina contaminando-a com radiação gama, a transformando na Mulher-Hulk. Ela teve sua própria série regular The Savage She-Hulk, mas terminou cancelada pouco tempo depois. No início dos anos 1980, o escritor Roger Stern a aproveitou como membro dos Vingadores, mas ela viveu sua glória mesmo como membro do Quarteto Fantástico (substuindo o Coisa) nas aventuras escritas e desenhadas por John Byrne. Mais tarde, voltou a integrar o Vingadores quando Byrne assumiu as revistas da equipe em 1989. Continua de algum modo ligada à equipe.