A Liga da Justiça na arte de Jim Lee.

O anúncio da Warner Bros. de que produziria um filme da Liga da Justiça, a equipe que reúne os maiores heróis da DC Comics (Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde, Flash, Aquaman etc.) continua reverberando na internet (leia aqui). E o sempre polêmico – e que adora aparecer – escritor Mark Millar já se pronunciou sobre o tema.

Segundo ele, um amigo seu, que tem proximidade com o roteirista Will Beall, contratado para escrever o filme, lhe contou os planos do estúdio. Millar garante que a abordagem da Liga da Justiça será sombria e madura.

O escritor Mark Millar: comentando o filme vindouro.

Este provavelmente é o direcionamento mesmo que a Warner/DC procura, pois foi o que deu certo com a trilogia do Batman. O novo filme do SupermanSuperman – O Homem de Aço, que estreará em 2013, já segue essa mesma pegada.

Mark Millar nasceu na Escócia e começou a carreira nos quadrinhos britânicos, na mesma leva da Invasão Britânica dos quadrinhos que tomou conta principalmente da DC Comics entre os meados dos anos 1980 e 1990, revelando nomes como Alan Moore, Neil Gaiman, Grant Morrison, Alan Grant e vários outros. Apadrinhado por Grant Morrison, Mark Millar começou sua carreira norteamericana na DC em títulos sob a responsabilidade daquele, como Swamp Thing (o Monstro do Pântano) e revistas da Liga da Justiça e Flash. Mas foi no selo Wildstorm que fez seu nome, ao assumir a revista Authority, abordagem realista, violenta e meio louca sobre os super-heróis.

Depois, fez seu nome principalmente na Marvel, onde produziu histórias do Universo Ultimate, com os X-Men, Quarteto Fantástico e os VingadoresThe Ultimates, para alguns uma das melhores revistas da década de 2000. No Universo Marvel tradicional, escreveu Wolverine e a minissérie/ megaevento Guerra Civil. Pelo selo autoral da Marvel, Icon, produziu alguns grandes sucessos de crítica, como Kick-Ass; e fora, em outras editoras, O Procurado (ambos já adaptados ao cinema).

Superman versus Batman na explosiva arte de Jim Lee em Justice League 02, de outubro de 2011.

E nos mundos dos quadrinhos da Liga da Justiça, corre um rumor de que a DC Comics está procurando um substituto para Jim Lee, o desenhista sensação que assumiu a arte da equipe desde o reboot cronológico e editorial da editora, em agosto do ano passado. Lee é Co-Publisher da DC e responsável pelos quadrinhos digitais, então, não tem muito tempo para ficar criando uma revista mensal, além de ser famoso por ser lento. O problema é que na única vez em que a revista Justice League não foi desenhada por ele, nos últimos meses, deixou de ser a mais vendida das paradas.

Ou seja, um substituto tem que ser alguém muito bom e/ou famoso. De fato, a DC está investindo pesado na escolha, inclusive, se diz, está oferecendo contratos de exclusividade a desenhistas que trabalham principalmente com a Marvel. Quem será o escolhido?

As aventuras da Liga da Justiça desenhadas por Jim Lee em meio ao reboot da DC, chamado oficialmente de Os Novos 52, começou a ser publicado no Brasil exatamente este mês, por meio da Panini Comics, editora que republica o material daquela no país. Confira nas bancas!

A Liga da Justiça foi criada por Gardner Fox e Mike Sekowski, em 1960, reunindo heróis previamente criados. Formado pelos maiores heróis da DC Comics – Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde, Flash, Arqueiro Verde, Aquaman etc. – a equipe sempre teve destaque em sua cronologia. Desde o reboot cronológico e editorial da DC em 2011, a revista Justice League é uma das de maior sucesso do mercado de quadrinhos atuais.