O Devorador de Pecados: assassino de Jean DeWolff. História clássica.
O Devorador de Pecados: assassino de Jean DeWolff. História clássica.

Não é à toa que o Homem-Aranha é o personagem mais popular da editora Marvel Comics: seus 50 anos de edição (completados ano passado) estão repletos de histórias monumentais. E finalmente, uma dessas volta a ser publicada no Brasil depois de mais de 20 anos! A Panini Comics, que republica o material original da Marvel no país, confirmou que irá lançar um encadernado com A Morte de Jean DeWolff, uma das maiores histórias do aracnídeo em todos os tempos!

Para se ter uma ideia de como isso é importante, esta história está em 2º lugar na lista das Melhores Histórias do Homem-Aranha publicada aqui no HQRock, atrás apenas de A Noite em que Gwen Stacy Morreu, a mais famosa das histórias clássicas do herói. (Veja aqui).

A Morte de Jean DeWolff foi publicada originalmente na revista Spectacular Spider-Man 104 a 107, de 1985, com roteiro de Peter David e desenhos de Rick Buckler. Na trama, a capitã de polícia Jean DeWolff (personagem coadjuvante criada em 1976) é brutalmente assassinada, de modo misterioso e aparentemente gratuito. DeWolff havia mudado a relação da polícia com o Homem-Aranha, porque simpatizava com ele, revertendo a situação do herói perseguido desde sempre. Contudo, na medida em que as investigações do sargento Stanley Carter avançam, descobre-se que o crime foi fruto de um serial killer chamado O Devorador de Pecados, que saí matando alvos ilustres em profissões eticamente complicadas.

Jean DeWolff: policial durona.
Jean DeWolff: policial durona.

O Homem-Aranha inicia sua própria investigação e também passa a colaborar com Carter, mas fica obcecado em prender o criminoso ao descobrir que a capitã DeWolff, sua amiga de longa data, era apaixonada por ele. A morte de um juiz, amigo de Matt Murdock, coloca o Demolidor no caso também, mas os dois heróis não conseguem derrotar o Devorador de Pecados, que tem força sobrehumana.

A história é cheia de reviravoltas e também é o momento em que o Homem-Aranha e o Demolidor descobrem as identidades secretas um do outro, algo que os transformaria em grandes amigos no futuro.

Policiais encontram DeWolff morta: história violenta. Arte de Rick Buckler.
Policiais encontram DeWolff morta: história violenta. Arte de Rick Buckler.

A Morte de Jean DeWolff é um importante marco de adesão do Homem-Aranha à chamada Era Sombria dos quadrinhos. A história é violenta e de teor adulto, o que causou uma grande sensação na época de seu lançamento. Além disso, foi praticamente a estreia do escritor Peter David, que se tornaria um dos mais importantes dos quadrinhos dos anos 1990. Curiosamente, David ficaria famoso pelo humor de suas histórias, algo totalmente ausente neste primeiro conto brutal e violento.

No Brasil, essa magnífica história foi publicada uma única vez, na revista O Espetacular Homem-Aranha 84 a 87, de 1989, pela editora Abril, ainda em formatinho. É a primeira vez que será republicada e apresentada ao público brasileiro no formato original (o chamado formato americano).

Capa e contracapa do encadernado da Panini: republicação depois de mais de 20 anos!
Capa e contracapa do encadernado da Panini: republicação depois de mais de 20 anos!

E de brinde, a Panini publica no encadernado não somente A Morte de Jean DeWolff, mas também a sua sequência, com o fechamento do arco do Devorador de Pecados. Esta história também é aclamada – está em 13º lugar na lista das Melhores do Homem-Aranha do HQRock (siga o link acima) – e foi publicada na mesma revista Spectacular Spider-Man, entre os números 133 e 136, em 1988, novamente escrita por Peter David, mas agora com desenhos do fabuloso Sal Buscema.

Esta história também jamais foi republicada no Brasil, saindo apenas em O Espetacular Homem-Aranha 102, da Abril.

O encadernado da Panini traz uma nova versão da colorização das duas histórias, tem 172 páginas e preço sugerido de R$ 21,90.

É leitura obrigatória!

O Homem-Aranha foi criado por Stan Lee e Steve Ditko em 1962, na revista Amazing Fantasy 15, da Marvel Comics. Ele é publicado até hoje na revista Amazing Spider-Man e outras e também é membro dos Vingadores.