tom pretty 2017Foi confirmada ontem à noite a notícia da morte do roqueiro norteamericano Tom Petty, de 66 anos. O músico sofreu uma parada cardíaca em sua casa, em Malibu, na Califórnia (próximo a Los Angeles) e foi levado para um hospital. Ainda na parte da manhã começou a circular a informação de sua morte, mas depois, foi esclarecido pelas autoridades que o guitarrista estava vivo com a ajuda de aparelhos, mas não tinha mais nenhuma atividade cerebral registrada. A família, aparentemente, pediu que os aparelhos fossem desligados. Às 20h40min foi confirmado o óbito.

Embora fosse praticamente desconhecido fora dos EUA, Tom Petty era um roqueiro muito querido no círculo musical, especialmente por sua paixão pela música e sua integridade artística. Circulando na tênue linha entre o grande sucesso e a carreira apenas discreta, Petty e seu grupo de apoio, o The Heartbreakers, seguiu atravessando quatro décadas de carreira e o reconhecimento de pares, críticos e imprensa.

Thomas Earl Petty nasceu em Glainesville, na Flórida, em 1950, e desde cedo se interessou por artes. Segundo suas próprias declarações, foram seminais como influência para ele se tornar um roqueiro, Elvis Presley (que era do mesmo estado) e os Beatles, que viu pela primeira vez na TV, no programa de Ed Sullivan, em 1964. O fato de gostar de música rendeu muitos problemas com seu pai, que não aceitava isso e o agredia fisicamente. Mas Petty seguiu em frente, tendo aulas de violão com Don Felder, que anos mais tarde seria guitarrista do The Eagles.

tom-petty close up young
O jovem Tom Petty: leitura da América. 

Na adolescência, Petty trabalhou na Universidade da Flórida e formou um grupo de rock com os amigos de colégio, The Epics, que conseguiu boa visibilidade na região. A banda migrou para Los Angeles, mas se desfez no processo, porém, os membros remanescentes formaram o The Heartbreakers, que lançou seu primeiro álbum em 1976. O disco não casou muito impacto nos EUA, mas foi bem-recebido na Inglaterra, o que levou à gravadora a insistir no single Breakdown até que este entrasse no Top40 mais de um ano após o seu lançamento.

tom petty Damn The Torpedoes
A capa do álbum Dawn the Torpedoes, de 1979.

O sucesso da banda foi crescendo nos anos seguintes: You’re Gonna Get It, de 1978, trouxe os hits I need to know e, principalmente, Listen to her heart; seguido por Dawn the Torpedoes, de 1979 (com Refugee, Here comes my girl e Don’t do like that, a primeira a fazer realmente sucesso internacional); com Hard Promises, de 1981, sendo o primeiro álbum da banda a chegar ao Top10 dos EUA (e trazendo os sucessos The waiting e Insider).

travelling wilburys
The Traveling Wilburys (com Petty atrás à esquerda): brincadeira que deu certo!

Após sete álbuns como Tom Petty & The Heartbreakers, o cantor começou uma série de voos distintos. Em 1988, Petty se uniu ao ex-Beatles George Harrison, à lenda Bob Dylan, a Roy Orbison (que fizera sucesso nos anos 1950 e 60 – inclusive com Pretty woman – e retornava triunfal às paradas da época) e o egresso do ELO (Electric Light Orchestra) Jeff Lyne (mais o baterista Jim Keltner) para formar o supergrupo The Travellin’ Wilburys, que lançou um disco autointitulado. O álbum foi um fenômeno de vendas, puxado pelo sucesso de canções como End of line e Handle with care.

O megassucesso fez bem à carreira de todos os envolvidos e, apesar de Orbison ter morrido logo após o lançamento do disco, o supergrupo ainda lançou um segundo disco, chamado jocosamente de Volume 3, em 1989.

O embalo do sucesso impulsionou o início da carreira solo de Tom Petty, que lançou o álbum Full Moon Fever, em 1989, e rendeu sua canção mais conhecida: Free fallin’, além de outros hits, como I won’t back down, Runnin’ down a dream e (o cover do The Byrds) Fell a whole lot better. O The Heartbreakers retornou dois anos depois, mas foi com seu segundo álbum solo, Wildflowers, de 1994, que Petty fez grande sucesso de novo, puxado por hits como You don’t know how it feels e a faixa-título.

tom pretty 2017 2Inclusive, foi na esteira desse sucesso em que ocorreu a curiosa ocasião em que Petty convidou o baterista Dave Grohl (do Nirvana) para fazer parte de sua banda. O Nirvana tinha acabado de encerrar as atividades – por causa da morte do líder Kurt Cobain – e Grohl não estava certo de que caminho percorrer. Apesar de realizar algumas apresentações com o guitarrista veterano, Grohl optou por seguir seu próprio caminho, fundando o Foo Fighters e embarcando na viagem que o tornaria o mais bem-sucedido roqueiro das últimas décadas.

Petty, por sua vez, continuou alternando álbuns entre sua velha banda e a carreira solo, lançando seu último disco, ao lado dos Heartbreakers, em 2014: Hipnotic Eye.

Curiosamente, em dezembro de 2016, Petty deu início a uma turnê de celebração dos seus 40 anos de carreira e, na ocasião, deu uma entrevista à revista Rolling Stone informando que seria, provavelmente, a sua última grande turnê, pois estava na ladeira final dos 60 anos de idade, já era avô e não se via mais no futuro fazendo excursões com 50 concertos como era esta. A turnê se encerrou há duas semanas atrás.

Sua morte leva outra lenda do rock e um pedaço importante da música dos EUA das últimas décadas.