A família do cantor e compositor norteamericano Tom Petty, falecido em 03 de outubro do ano passado, informou via página oficial do Facebook, que ele morreu de overdose acidental de medicamentos, especialmente, analgésicos. Segundo o comunicado, o músico sofria de várias dores e sem querer exagerou na dose.

O longo comunicado diz, entre outras coisas, o seguinte:

Nossa família sentou hoje com o representante da Medical Examiner e fomos informados de sua análise final sobre o falecimento de Tom Petty, que se deu por uma overdose acidental de remédios, como resultado de ter ingerido uma variedade de medicamentos.

Infelizmente, o corpo de Tom sofreu uma série de injúrias, incluindo um enfisema, problemas no joelho e, mais significativo, uma fratura no quadril.

Apesar de sua dolorosa fratura, ele insistiu em manter seu compromisso com seus fãs e ele excursionou com 53 shows com um quadril quebrado e, como ele disse, piorou para um machucado mais sério.

No dia em que morreu, ele foi informado que seu quadril evoluiu para uma fatura completa e pensamos que a dor era simplesmente insuportável e foi o motivo do uso excessivo de medicação.

A família ainda acrescenta que está revelando esses detalhes para ajudar na prevenção do uso descontrolado de medicamentos.

Tom Petty nasceu em 1950, na Flórida, e mais tarde emigrou para Los Angeles com sua banda The Heartbreakers, que lançou o primeiro disco em 1976, chamando inicialmente mais a atenção no Reino Unido do que nos EUA. Mas o sucesso em seu próprio país foi perseguido e conseguido nos anos seguintes, com Tom Petty and the Heartbreakers emplacando vários hits, como Breakdown, I need to know, Listen to her heart, Refugee, Don’t do like that e The waiting. Embora a banda nunca tenha se separado efetivamente, Petty também desenvolveu projetos paralelos, como a participação nos The Travelling Wildburys (com George Harrison, Bob Dylan, Roy Orbison e Jeff Lyne), que fez bastante sucesso com dois álbuns em 1989 e 1990; e também lançou dois discos solo de sucesso, em 1989 e 1994, que trouxeram sucessos como Free fallin’ e Wildflowers. Seu último álbum foi lançado em 2014, com os The Heartbreakers, e realizou entre dezembro de 2016 e setembro de 2017 uma grande turnê comemorativa dos 40 anos de carreira, a mesma citada com 53 shows no depoimento da família. Ele morreu aos 66 anos e e já era pai e avô.