É com muita tristeza que noticiamos que Stan Lee, a maior lenda viva dos quadrinhos, morreu na manhã de hoje na Califórnia, segundo o site TMZ. Uma ambulância foi chamada à casa do escritor em Hollywood Hills e ele foi levado ao hospital Cedar Sinai, onde veio a falecer. O quadrinista tinha 95 anos e a causa Mortis não foi revelada ainda.

Stan Lee foi o criador do Universo Marvel nos quadrinhos sendo o responsável pela pelo surgimento de Homem-Aranha, Hulk, Thor, Vingadores, Quarteto Fantástico, Pantera Negra, X-Men, Homem de Ferro, Doutor Estranho, Demolidor, Surfista Prateado e mais um grande número de personagens coadjuvantes e vilões.

Nascido Stanley Lieber em 1922, ele ele assumiu o nome the Stan Lee logo quando começou a escrever quadrinhos. Garoto prodígio, foi contratado pela Marvel Comics que na época atendia pelo nome de Timely, aos 17 anos, e começou como faz tudo da editora e assistente do editor-chefe Joe Simon e do diretor de arte Jack Kirby, que criaram o Capitão América, primeiro personagem de grande sucesso da editora. Já no número 3 da revista do Sentinela da Liberdade, em 1941, estreou como escritor e daí para frente prosseguiu como o principal roteirista da Marvel, assumindo inclusive oposto de editor-chefe em substituição a Simon e Kirby, que deixaram a editora em 1942. Stan Lee manteria o cargo até 1972, com a breve interrupção os anos de 1943 a 46 quando teve que servir o exército dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial.

Ele trabalharia de modo contínuo na editora, mas só conseguiria mesmo sucesso quase 20 anos depois, após uma crise comercial que quase levou a indústria das HQs a falência, ele se inspirou no sucesso da Liga da Justiça da concorrente DC Comics e criou, ao lado de Jack Kirby, O Quarteto Fantástico, que foi um estouro de sucesso.

A partir de então o escritor, ao lado de desenhistas como Jack Kirby, Don Heck, Steve Ditko e John Romita, criaria uma lista imensa de personagens e escreveria suas histórias. Após consolidar o sucesso da Marvel, a partir de 1965, Stan Lee começou a delegar alguns roteiros para outros artistas, como Roy Thomas, até que deixaria quase em definitivo a escrita dos personagens que criara, em 1972, quando foi promovido a publisher da Marvel, cargo pelo qual se tornou o rosto público da editora e o responsável por negociar direitos autorais para licenciamento e adaptações a outras mídias como TV e cinema.

Lee continou trabalhando até o fim dos seus dias e mesmo tendo se aposentado da Marvel no início dos anos 1990, ainda sim, permaneceu para sempre vinculado à imagem da editora, de modo que é sempre creditado como produtor executivo dos filmes do Marvel Studios em reconhecimento a criação na maioria daqueles personagens.

O roteirista vivenciava alguns problemas em sua vida pessoal nos últimos anos, sendo explorado por assessores e assistentes e tendo parte do seu patrimônio roubado.

Já havia até algumas dúvidas sobre a estabilidade mental do quadrinista.

Stan Lee já havia ficado viúvo e deixa uma única filha como herdeira Joane Célia Lee.

Conheça a biografia do maior de todos os escritores de quadrinhos no post especial do HQRock na ocasião dos 90 anos do mestre!