Não é todo dia que alguém pode comprar um disco autografado pelos Beatles. Muito menos um álbum que seja raríssimo. O mais raro dentre todos! Que tal? Foi o que adquiriu um anônimo colecionador dos Estados Unidos, pela pequena bagatela de 179,2 mil Libras ou R$ 1 milhão! É o álbum Yesterday and Today, de 1966, em sua primeira tiragem, o chamado “disco do açougue”.

A história é longa e curiosa. Nos anos 1960, os Estados Unidos não se submetiam às discografias originais dos artistas estrangeiros, preferindo remodelá-las ao que achassem mais comercial e adequado. Assim, enquanto os álbuns dos Beatles na Inglaterra tinham 14 faixas e quase sempre excluíssem as canções lançadas nos compactos; nos EUA, os LPs tinham somente 12 faixas e traziam também os compactos. Como resultado, o mercado ianque era capaz de transformar um álbum britânico em dois LPs, nem que fosse necessário repetir canções. E assim o fizeram.

Não apenas os Beatles, mas todos os artistas britânicos de sucesso no início dos anos 1960 sofreram com a prática, que começou a perder força em 1967, na medida em que os álbuns iam ganhando status de obras fechadas em si e significantes.

No caso dos Beatles, a lambança foi ainda um pouco maior, porque a banda foi a primeira do Reino Unido a fazer sucesso nos EUA. Daí que quando chegaram às paradas de sucesso na terra da Estátua da Liberdade, já tinham dois álbuns completos lançados na Inglaterra (Please Please Me e With The Beatles, ambos de 1963) e nada menos do que 5 compactos (ou seja, 10 canções outras), que serviram de munição para desdobrarem em vários LPs genéricos da banda em versão Made In USA.

Para se ter uma ideia, o primeiro LP dos Beatles lançado nos EUA, Introducing The Beatles, de 1964, tinha duas versões no mercado, com capas diferentes e duas faixas trocadas em cada versão! Uma máquina de fazer dinheiro.

Yesterday and Today foi o último desses artífices da gravadora Capitol Records, dos EUA (que lançava no país o material original da EMI Records britânica). Lançado em junho de 1966, o disco trazia uma miscelânea de canções dos álbuns Help! (junho de 1965), Rubber Soul (dezembro de 1965) e até do ainda vindouro Revolver (agosto de 1966).

Eis o set list:

(Indicando o álbum original em seguida. Todas as canções de John Lennon & Paul McCartney, exceto quando indicado).

Lado A:

  1. Drive my car – Rubber Soul
  2. I’m only sleeping – Revolver
  3. Nowhere man – Rubber Soul
  4. Doctor Robert – Revolver
  5. Yesterday – Help!
  6. Act naturally (Joni Russel, Voni Morrison) – Help!

Lado B

  1. And your bird can sing – Revolver
  2. If I needed someone – Rubber Soul
  3. We can work it out – (single)
  4. What’s goes on (John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr) – Rubber Soul
  5. Day tripper – (single)

E a troca das faixas nem foi o pior.

Para a capa, foi usada uma infame fotografia dos Beatles usando avental branco e cobertos com pedaços de carne e bonecas despedaçadas, enquanto a banda sorria, num visual chocante. Realizada pelo fotógrafo Robert Whitaker, era um protesto contra a Guerra do Vietnã, cujas notícias de soldados americanos matando criancinhas vietnamitas já tinham começado a aparecer nos noticiários.

Contudo, a reação do público e da imprensa à imagem foi furiosa e a Capitol não quis polêmica: rapidamente recolheu todas as cópias não vendidas e trocou a capa, com uma mais inofensiva (e velha) da banda sentada ao redor de uma mala.

No fim, os Beatles terminaram concordando, porque acharam que a imagem original era de mau gosto.

A fotografia (e algumas variações dela), contudo, já haviam aparecido mais cedo, na Inglaterra, onde foram usadas para promover o single Paperback writer/ Rain, lançado em maio de 1966, e causaram alguma impressão na mídia, mas sem o furor dos EUA.

De qualquer modo, as poucas capas originais remanescentes do Yesterday and Today viraram uma rara peça de colecionador.

De qualquer modo, Yesterday and Today foi um grande sucesso e chegou ao 1º lugar das paradas dos EUA, permanecendo na posição por 5 semanas e rendendo o compacto derivado de Nowhere man, enquanto Drive my car e And your bird can sing também tiveram execução nas rádios.

Porém, o episódio motivou os Beatles a revisarem seu contrato com a Capitol e, à exceção do Revolver (lançado mutilado sem três faixas em setembro de 1966 nos EUA), dali em diante, os álbuns americanos seriam iguais aos britânicos, começando com Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, de 1967, que se tornou a obra mais importante da banda e um marco cultural da década de 1960 e do século XX.

O LP Yesterday and Today (com a segunda capa) começou a ficar difícil de encontrar a partir de 1975, quando a EMI padronizou a discografia dos Beatles no mundo inteiro, com uma nova impressão dos álbuns, mas os EUA resistiram um pouco mais até 1986, um ano antes da discografia da banda ser novamente relançada em versões remasterizadas não apenas em vinil, mas também em CD pela primeira vez. Yesterday and Today, portanto, foi substituído por Revolver.

Mas o saudosismo dos fãs é uma coisa a explorar. Após os Beatles ganharem um novo relançamento de sua obra em 2009, a banda disponibilizou em 2014 o Box Set The U.S. Albuns, com as versões americanas antigas, incluindo o Yesterday and Today, que foi lançado em CD pela primeira vez contando com as duas capas.

O álbum original leiloado pertenceu ao próprio John Lennon e era autografado por ele mais Paul McCartney e Ringo Starr, (faltou George Harrison) e ainda continha um desenho no verso, de autoria de Lennon, de um homem e um cachorro sob o sol. Vendido na Julien’s Audictions, foi arrematado por 179,2 mil Libras (ou 233 mil dólares ou 1 milhão de reais), se tornando, portanto, o terceiro álbum mais caro já vendido na história.

O primeiro lugar também pertence aos Beatles, uma cópia do Álbum Branco (The Beatles, também chamado de The White Album), que pertenceu a Ringo Starr e tinha o número de série 00000001, que foi vendido por 790 mil dólares. O segundo lugar pertence a Elvis Presley, com um disquinho com a gravação de My happiness, a primeira que o cantor realizou na carreira.