Deadpool: humor e metalinguagem.

A 20th Century Fox está mesmo investindo na adaptação dos personagens da Marvel Comics que lhes pertencem. Além de ressuscitar a franquia do Demolidor (veja o post do dia 17/03), da continuação de X-Men Origens – Wolverine e do lançamento este ano de X-Men – Primeira Classe, o estúdio fará mesmo o já prometido longametragem de Deadpool, o mercenário mutante afeito ao humor e piadinhas.

O personagem, na verdade, já apareceu em X-Men Origens – Wolverine interpretado por Ryan Reynolds (Lanterna Verde) e ganhará, agora, suas próprias aventuras – a exemplo do que aconteceu nas revistas.

Entretanto, a produtora Laura Shulen Donner tratou de adiantar que a interpretação do personagem será bastante diferente do visto no filme de Wolverine, que aliás não agradou muito aos fãs pelo total desvirtuamento na parte final. O astro Ryan Reynolds, no entanto, continuará no papel.

Deadpool foi criado na revista The New Mutants 98 (um dos derivados de X-Men) por Fabian Nicieza e Rob Liefeld, em 1991. O desenhista Liefeld criou o visual do personagem e quando o escritor Nicieza o viu, percebeu que era um plágio do Exterminador (Deathstroke) da DC. Assumindo a ideia do plágio e a comédia envolvida, Nicieza colocou o nome do mercenário como Wade Wilson, numa referência ainda mais clara a Slade Wilson, o nome do Exterminador.

Deadpool morre de rir ao encontrar o Galinha Negra.

Talvez inspirado nesse batismo, Deadpool serviu desde sempre como um “alívio cômico”, um personagem que mata por dinheiro e, para contrabalancear esse aspecto terrível, é alguém completamente humorístico, contando piadinhas infames o tempo todo. Com o tempo, os escritores usaram Deadpool como um recurso de quebrar a chamada “quarta parede” e falar diretamente com os leitores, recurso utilizado raras vezes nos quadrinhos, mas que na época já tinha sido feito com sucesso por Grant Morrison no Homem-Animal da DC e John Byrne na Mulher-Hulk da Marvel.

Assim, percebemos que Deadpool sabe que é um personagem de quadrinhos e faz piada com isso. Certa vez, quando encontra o personagem Mercenário (Bullseye), este pergunta “há quanto tempo”, o piadista responde: “na edição 16, na Grécia”.

Deadpool mostra que sabe que vive nos quadrinhos: "nos encontramos na edição 16".

Aparecendo nas revistas New Mutants e sua sucessora X-Force constantemente, Deadpool ganhou certo sucesso entre os leitores e, em 1993 e 1994, ganhou duas minisséries homônimas, produzidas por Nicieza e Joe Madureira e por Mark Waid e Ian Churchill, respectivamente. Devido ao sucesso, em 1997, ele ganhou sua própria série regular, uma revista mensal, escrita por Joe Kelly e desenhada por Ed McGuiness. Esta revista ganhou ares cult justamente pelo uso do humor e da “quarta parede” e durou 68 edições.

Ryan Reynolds como Deadpool em "X-Men Origens - Wolverine".

Nos anos seguintes, o personagem participou de outras revistas, como Cable & Deadpool, mas nos últimos anos voltou a ganhar destaque. A Marvel vem insistindo em um trabalho de publicidade para ampliar seu público, usando como tática colocá-lo em participações especiais em praticamente todas as revistas da editora.

Com o vindouro filme, a Marvel deve querer torná-lo conhecido fora do circuito de leitores de quadrinhos e permitir que a produção possa ser um sucesso. Não há cronograma de filmagens para Deadpool, mas o diretor foi anunciado: Tim Miller, que era um dos principais técnicos de efeitos especiais da Fox e vai estrear na função.

Laura Donner garante que será um filme “censura 18 anos” para poder explorar toda a verborragia, violência, humor e absurdo do personagem original.