Em uma entrevista à TV australiana, no programa Sunrise, o ator Chris Hemsworth (de Thor – Ragnarok) foi questionado sobre viver James Bond, o agente 007. E gostou da ideia.

Hemsworth disse:

Sim, acho que qualquer ator pegaria essa oportunidade. Eu sou um fã, com certeza. Um monte de pressão vem com aquilo. Acho que a base de fãs de Bond é provavelmente mais crítica do que a dos quadrinhos. Mas eu não sei, há um monte de caras que fariam um trabalho melhor do que eu. Uma penca de homens ou mulheres ingleses provavelmente poderiam pegar esse papel. Eu sinto que é um tipo de mundo inglês.

De fato, James Bond é uma das propriedades britânicas mais valiosas no campo da cultura e o país tem bastante atenção sobre quem é o escolhido. Até hoje, nada menos do que seis atores viveram o agente 007 em sua franquia oficial, mas apenas dois deles eram realmente ingleses: Roger Moore (Bond entre 1973 e 1985) e o atual Daniel Craig (desde 2006). Dentre os outros, há um galês (Timothy Dalton, 1987-1989), um irlandês (Pierce Brosnan, 1995-2002), um escocês (Sean Connery, 1962-1971) e até um australiano (George Lambezy, 1969), conterrâneo do intérprete do Thor.

Mas na verdade, nos livros, e no cinema, James Bond é escocês e não inglês puro-sangue.

Além do precedente de George Lambezy, Hemsworth tem ao seu favor o fato de que o também australiano Hugh Jackman chegou bem perto de ser Bond em 2006, mas não topou porque não queria fazer outro papel de franquia além de Wolverine.

Curiosamente, o irmão de Thor nos filmes, Loki, vivido por Tom Hiddleston, foi seriamente considerado para ser Bond, antes de Daniel Craig decidir voltar para o próximo filme, Bond 25.