Desculpem o neologismo, mas segundo várias fontes consultadas pelo site Collider, a versão do diretor Zack Snyder era “inassistível“. A informação vem depois de vários sites defenderem o rumor de que o diretor teria sido demitido do filme e não apenas se afastado por motivos familiares como diz a versão oficial do caso.

O próprio Snyder anunciou que estava se desligando do projeto em maio de 2017 em consequência à morte de sua filha, que se suicidou dois meses antes. Na ocasião, a imprensa rapidamente acrescentou que o diretor Joss Whedon (de Os Vingadores) iria assumir o filme em sua etapa final e realizar uma série de refilmagens, que no fim das contas duraram seis semanas (o tempo de um filme de médio porte) e resultando em todas as cenas do Superman serem refeitas.

Porém, desde o início, os fãs teorizaram que Snyder havia sido demitido e o resto era desculpa. Para reforçar a impressão, já meses antes tinha surgido o rumor de que os executivos da Warner Bros. teriam ficado bastante preocupados com o corte prévio do filme. Segundo as fontes consultadas pelo Collider, pelo menos dois executivos importantes teriam achado o filme inassistível. E refletindo sobre como corrigir o estrago, julgaram impossível.

Esta informação se completa com outra que o HQRock divulgou semanas atrás sobre a Warner considerar que Liga da Justiça repetia os mesmos erros de sua prévia, Batman vs Superman – A Origem da Justiça, com tom muito sombrio, trama pesada e densa, imagens escuras e falta de humor. E previam, acertadamente, que o público dos EUA não iria simpatizar com o filme.

Em consequência, a Warner contratou Whedon para finalizar o longa, mas “desistiram” do produto, o que explicaria a falta de atenção com o marketing do filme. Ainda assim, o estúdio considerou um erro irreparável terem “escondido” o Superman da campanha promocional, o que resultou na demissão da presidenta do estúdio.

Outro erro grave foi o péssimo efeito especial usado para esconder o bigode que o ator Henry Cavill era obrigado a usar durante as refilmagens por causa de seu papel em Missão Impossível 6 que gravava em paralelo. O (d)efeito é tão ruim que virou piada no mundo todo; fãs conseguiram fazer melhor acabamento em computadores caseiros; e até o trailer de Deadpool 2 fez graça com o tema.

Pensando nesse contexto, a demissão de Snyder não é exatamente uma surpresa.

Em vista disso, não veremos uma versão de diretor de Zack Snyder, e nem mesmo de Joss Whedon, já que o estúdio não irá gastar mais dinheiro num filme que não rendeu o esperado.