renato-russo-serio-closeO cantor e compositor brasileiro Renato Russo, líder da lendária banda Legião Urbana, a mais importante do rock brasileiro, ganhou uma exposição sensacional no MIS (Museu da Imagem e do Som) de São Paulo em setembro do ano passado. Com o nome do próprio cantor, a exposição encerrará sua temporada neste domingo, 18 de fevereiro, com um evento especial: a reunião de membros do Aborto Elétrico, a primeira banda punk de Brasília, fundada pelo compositor e que foi o berço de parte considerável do rock nacional da década de 1980.

renato russo expo fachada
A fachada do MIS.

renato russo expo renato-russo-mis-entrada-2-credito-leticia-godoyA exposição conta com milhares de itens pessoais do cantor, que estavam disponíveis em seu apartamento no Rio de Janeiro, onde viveu entre 1990 e 1996, quando morreu, e ainda é mantido intacto pela família. Contando com assessoria direta do filho do músico, Giuliano Manfredini, que deu total acesso à equipe do MIS ao material, a exposição tem Curadoria de André Sturm e Direção de Ateliê de Marko Brajovic.

renato russo exposição teclado cassio juno 106
O teclado Roland Juno 106 que Renato Russo usou em praticamente todos os álbuns da Legião Urbana.

Dentre os itens da exposição, se destacam instrumentos musicais, roupas e, principalmente, manuscritos de Renato Russo, que trazem esboços de letras de canções, ideias para obras, análise do próprio material, elaborações conceituais sobre os discos da Legião Urbana, um diário pessoal e muito, muito mais!

renato russo expo discos e livrosA exposição reproduz trechos do apartamento, com destaque para uma bela sala espelhada que traz a extensa coleção de discos e livros do compositor, e de modo tocante, o quarto do músico, com sua cama de solteiro.

renato russo expo cama com guiliano
O filho, Giuliano Manfredini, na reprodução do quarto do pai no MIS.

Um passeio pela exposição demonstra como Renato Russo não apenas era um sujeito extremamente organizado e obsessivo, mas que levava muito a sério seu trabalho e sua arte, anotando meticulosamente tudo o que estava relacionado ao ofício de compor e gravar. Por exemplo, na ocasião da preparação do álbum Dois, de 1986, que como o nome diz era o segundo da Legião Urbana, Russo organizou listas, fichas técnicas e letras do projeto de álbum duplo (tudo datilografado à máquina), que a gravadora EMI recusou. Como resposta, o músico fez outro vasto material – também com listas, letras e ficha técnica – para a versão final do disco, inclusive, uma longa dissertação na qual justifica a ordem das canções e quais seriam os potenciais singles e por quê.

renato russo expo letra de indiosA exposição foi um sucesso e para celebrar o fim, o MIS irá promover uma festa de encerramento no domingo que contará com a presença de ex-membros do Aborto Elétrico, a banda punk que Renato Russo fundou em Brasília em 1978, e de certo modo, é o marco zero do BRock dos anos 1980.

Renato Russo ficou famoso com a banda Legião Urbana (ao lado do guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá – o baixista Renato Rocha participou dos três primeiros discos, mas depois, deixou o grupo), que já fez sucesso desde o primeiro disco, homônimo, de 1985, se tornando a mais influente do rock nacional. Após oito álbuns, o grupo acabou em 1996, com a morte do compositor, vítima de uma grave crise depressiva e de complicações causadas pelo vírus HIV.

Segundo a revista Rolling Stone brasileira, o show ocorrerá no estacionamento do MIS e reunirá os irmãos Flávio (baixo) e Fê Lemos (bateria), ex-membros do Aborto Elétrico e atualmente ambos no Capital Inicial, que também é herdeiro daquela banda seminal. Para completar o time, participam o vocalista Franklin Santos e o guitarrista André de Matos, da banda Fusion, de Brasília. A festa terá abertura da banda Flying Chair.

O HQRock já tem um Dossiê Especial sobre a Discografia Completa da Legião Urbana, então, vamos falar aqui do Aborto Elétrico.

aborto elétrico 1981
O Aborto Elétrico.

O Aborto Elétrico foi fundado por Renato Russo em fins de 1978, com ele próprio nos vocais e baixo, André Petrorius na guitarra e Fê Lemos na bateria. Russo e Lemos moravam num conjunto de apartamentos chamado Prédios da Colina, defronte ao Lago Norte e que servia, principalmente, para professores da UnB, como era o caso do pai de Lemos. Como os jovens se reuniam nos pátios e áreas verdes entre os prédios, nasceu a Turma da Colina.

Russo, cujo verdadeiro nome era Renato Manfredini Júnior, era filho de um executivo do Banco do Brasil e morara parte da infância em Nova York, por isso, era fluente em inglês (tendo sido até professor). Felipe Lemos era filho de um professor universitário e tinha passado uma temporada em Londres naquela época; enquanto Petrorius era filho de um diplomata da África do Sul.

aborto eletrico pixaçãoSendo a primeira banda punk de Brasília – os seus três membros tinham acesso privilegiado ao material que estava sendo lançado nos EUA e na Inglaterra por meio de discos importados ou amigos que enviavam fitas K7 com as grandes novidades – o grupo se tornou bastante popular, com seus ensaios sendo um grande ponto de encontro da Turma da Colina. A banda mal sabia tocar os próprios instrumentos e o primeiro show do grupo, no bar Só Cana, em 1979, foi somente com canções instrumentais. Porém, não demorou muito e Russo passou a cantar e, com isso, escrever letras incendiárias para as canções explosivas do Aborto Elétrico, como Geração Coca-Cola, Fátima e Que País é Este?.

aborto eletrico ao vivo
o Aborto Elétrico se apresenta na Colina, em Brasília.

Da Turma da Colina sairiam vários dos membros do movimento rock dos anos 1980 de Brasília, Ico Ouro Preto tinha um irmão mais novo chamado Dinho, que era vidrado em Renato Russo, transformando-o em um tipo de ídolo; Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos circulavam nas festas; André Miller era outro que acompanhava o grupo de perto; e até Herbert Vianna, que era um pouco mais velho do que essa turma e já estava de mudança para o Rio de Janeiro chegou a ter algum envolvimento com o grupo. O resultado é que daí surgiram várias outras bandas em Brasília, sendo a Plebe Rude de André Miller a mais célebre, mas havia outras como Blitx, Fusão e 5ª Coluna.

Em 1980, André Petrorius teve que retornar à África do Sul, porque como filho de diplomata era obrigado a servir o exército; então, Renato Russo migrou para a guitarra; Fê Lemos permaneceu na bateria; e o irmão deste, Flávio Lemos, ingressou no grupo para tocar o baixo. O grupo quase acabou em dezembro de 1980: a banda tinha um show marcado no dia 09, mas naquele data foi noticiada no mundo todo a morte do ex-beatle John Lennon, assassinado por um fã com problemas mentais na noite anterior, e Renato, como fã incondicional dos Beatles, entrou em choque e tomou uma grande bebedeira, chegando bêbado e incapacitado para o concerto. Houve uma briga calorosa entre ele e Fê Lemos, com direito a socos e empurrões, e o fim do grupo foi anunciado. Mas já no mês seguinte, a dupla fez as pazes e a banda retornou.

aborto elétrico renato-russo-agosto-80-em-frente-a-igreja-n-s-das-dores-cruzeiro-velho-robson-silva4André Petrorius retornou ao Brasil de férias, em 1981, e chegou a tocar com a banda novamente, ocasião em que o Aborto Elétrico virou um quarteto e Renato Russo pôde se dedicar apenas aos vocais (o que o livrava para tocar um pouco de teclado também, de vez em quando). Ele gostou da experiência, e em seguida, convidou Ico Ouro Preto para assumir a guitarra da banda, num período que alguns acham que foi o apogeu do grupo, pois já estava com um grande repertório consolidado – além das já citadas havia Veraneio Vascaína, Música Urbana e Baader-Mainhoff Blues – e fazia mais shows.

O grupo encerrou as atividades em março de 1982, quando a relação entre Renato Russo e Fê Lemos se tornou insustentável. Naquele momento, o compositor já estava com 22 anos e seu ímpeto de compor canções juvenis incendiárias começava a diminuir, de modo, que começou a escrever várias canções de amor e outras mais existencialistas, que tinham uma “pegada violão”. Com o fim da banda, Russo passou a se apresentar sozinho, apenas com a voz e um violão de 12 cordas, usando a alcunha de O Trovador Solitário e um repertório totalmente novo de canções como Faroeste Cabloco, Eduardo e Mônica, Eu Sei etc. Porém, o músico era vaiado pelo público punk, que o considerou um traidor do movimento.

aborto elétrico 3 showNa sequência, Fê e Flávio Lemos convidaram o guitarrista Louro Jones e Dinho Ouro Preto para os vocais e formaram o Capital Inicial, que herdou parte do repertório do Aborto Elétrico, especialmente Fátima, Música Urbana e Veraneio Vascaína. Ainda em 1982, Renato Russo se uniu ao baterista Marcelo Bonfá, ao guitarrista Eduardo Paraná e ao tecladista Paulinho Paulista e formou a Legião Urbana, que além de também herdar o repertório do outro grupo, mesclava as duas tendências do compositor: canções mais críticas de cunho social e político, com outras existencialistas e românticas.

capital-inicial-em-abril-de-1985-em-sao-paulo
O Capital Inicial foi um dos herdeiros do Aborto Elétrico.

O resto é história.

legiao-urbana-1985-preto-e-branco
A Legião Urbana em 1985.

PS: O Capital Inicial lançou um disco-homenagem ao Aborto Elétrico em 2005: MTV Especial – Aborto Elétrico, que teve como chamariz algumas canções inéditas da lendária banda. Aqui vai o setlist:

  1. “Tédio (Com um T Bem Grande para Você)” (Renato Russo)
  2. “Love Song One” (Flávio Lemos/ Renato Russo)
  3. “Fátima” (Flávio Lemos/ Renato Russo)
  4. “Helicópteros no Céu” (Renato Russo)
  5. “Química” (Renato Russo)
  6. “Ficção Científica” (Renato Russo)
  7. “Conexão Amazônica” (Fê Lemos/ Renato Russo)
  8. “Submissa” (Fê Lemos/ Renato Russo)
  9. “Geração Coca-Cola” (Renato Russo)
  10. “Baader-meinhof Blues Nº1” (Flávio Lemos/ Renato Russo/ Fê Lemos/ André Pretorius)
  11. “Heroína” (Ércole Fortuna/ Renato Russo/ Fê Lemos/ Flávio Lemos)
  12. “Despertar Dos Mortos” (Flávio Lemos/ Renato Russo)
  13. “Veraneio Vascaína” (Flávio Lemos/ Renato Russo)
  14. “Construção Civil” (Renato Russo)
  15. “Benzina” (André Pretorius/ Renato Russo)
  16. “Música Urbana” (Flávio Lemos/ Renato Russo/ Fê Lemos/ André Pretorius)
  17. “Que País É Este” (Renato Russo)
  18. “Anúncio de Refrigerante” (Renato Russo)

Como não existe material oficial lançado com o próprio Aborto Elétrico, para ter uma ideia, ouça o álbum do Capital Inicial aqui:

Existem algumas gravações piratas do Aborto Elétrico, a mais famosa delas, um show na Funarte, em 1981. #ficaadica

Mas se quiser ter uma ideia aproximada do que era o Aborto Elétrico com o próprio Renato Russo veja esta playlist com as canções herdadas pela Legião Urbana: