deadpool-2-trailer-image-21Quando Deadpool foi lançado dois anos atrás, foi um fenômeno em vários sentidos:  um filme barato, 18 anos, cheio de violência e humor, com tiradas ácidas e absurdas, politicamente incorreto e um personagem completamente transloucado, sem moral, sem noção e o resultado foi… sensacional. Deadpool 2 está estreando nos cinemas brasileiros e o resultado? Mais do mesmo. E é ótimo.

Deadpool 2 não é um filme que se leva à sério. Embora, verdade seja dita, esta sequência se leva mais à sério do que o original. Mas não se preocupa em ser coerente ou bem estruturado. A história é simples, sem complicação; a trama flui sem grandes reviravoltas; as piadas se sucedem… E o resultado é muito bom. Como história, o 2 é bem melhor do que o primeiro.

deadpool-2 with portable sound and cab
Um som para sensibilizar.

O sentido da sequência é muito mais mostrar que esse tipo de aventura é possível e rentável, ao mesmo tempo em que acrescenta elementos para serem desenvolvidos em outros filmes ou franquias. Não há desenvolvimento do personagem propriamente dito. Apenas ele segue em frente. Se Deadpool 2 tem um senso de redenção, e não somente do personagem título, mas de outros dois, mas não vamos dizer quem para não entregar spoilers; este é usado apenas para jogar a trama para frente.

Claro que o resultado não foge da tentação de tornar um personagem absolutamente errante e não-heroico – ele é um mercenário, lembram? Ele mata por dinheiro e diversão! – em algo mais próximo do super-herói tradicional. Não podemos culpar a Fox por isso, a Marvel fez a mesma coisa: Deadpool surgiu como um VILÃO nas histórias dos Novos Mutantes; exatamente no mesmo arco que introduziu Cable e Dominó, numa fase de transição que levou a equipe de mutantes adolescentes fundada (e depois abandonada) por Charles Xavier a se tornar outra coisa, mais madura, mais violenta. Na trama, Cable – um mutante militar vindo do futuro, durão, disposto a cruzar fronteiras morais em prol do que acredita ser certo – se aproveita daquele grupo de mutantes jovens, relativamente experientes, muito poderosos e sem direção, para torná-los uma máquina mais azeitada, eficiente, violenta e adulta, chamada, X-Force. Dominó ajuda Cable. Deadpool é contratado para matá-los.

deadpool_cable2Mas o “mercenário boca suja” fez sucesso. Muito sucesso! A abordagem transloucada, sem limites e que quebra a “quarta parede” o tempo todo caiu no gosto dos fãs. E rapidamente, Deadpool foi deixando de ser um vilão para ser um daqueles anti-heróis raivosos, violentos e de moral dúbia típicos dos anos 1990. O cinema faz isso de modo diferente, mas dentro do mesmo espírito. Aqui, Deadpool aparece primeiro. Não existem Novos Mutantes, o mercenário é que precisa (no primeiro filme) dar uma de “mocinho” por um motivo (ou dois) meramente egoísta: se vingar daquele responsável por transformá-lo em um ser poderoso e praticamente imortal, embora de aparência terrível, e salvar a mulher que ama.

Em Deadpool 2, para completar o caldo, Cable e Dominó aparecem, em situações invertidas: Cable vem do futuro como um inimigo, e Dominó é recrutada para ajudar.

deadpool 2 trailer sword sceneO filme, claro, não resiste a transformar Wade Wilson num tipo de herói. Ele é um mercenário, sim, mas mata apenas “bandidos” como explica logo no começo do filme. E embora novamente saia em uma jornada de vingança algo egoística, há desta vez, um senso de altruísmo quando parte do objetivo é realmente ajudar alguém. Isto poderia ser pensado como uma jornada de personagem, porém, a trama é tão insana, que o espectador nem pensa muito nisso.

deadpool-2 the teamMais para o bem do que para mal, Deadpool 2 é uma sucessão de piadas infames e absurdas. O modo como desconstrói elementos tipicamente hollywoodianos apenas para criar graça- preste atenção na X-Force, que é fundada neste filme – faz o espectador literalmente chorar de rir. E isso é ótimo.

O filme é assumidamente descompromissado e seu mérito – além de ser divertido, insano e chocante; absolutamente hilário – é justamente tirar sarro de si próprio, dos filmes de heróis e dos fan services tão presentes nestes. Há participações especiais completamente inesperadas – não pisque durante a projeção, senão irá perdê-las! – chacotas e piadas são feitas sobre momentos célebres dos filmes recentes, enquanto a história em si se mostra previsível como uma noite de domingo e tudo bem, sem problemas.

deadpool unmasked rain scene
Ryan Reynolds entrega uma boa interpretação.

Claro que, como filme, a opção pelo escárnio total tem seus riscos. Personagens? Hum… bem, é melhor pensar em “situações”… Mas ainda assim, enquanto longametragem tem méritos artísticos, sim. Os atores conseguem entregar interpretações quando demandados. Surpreendentemente, Ryan Reynolds dá um show de verdade, e não apenas em momentos cômicos, mas em alguns momentos dramáticos (sim, eles existem de verdade) e entrega  muito bem. O mais sério do filme todo é o Cable de Josh Brolin – o mesmo ator que fez Thanos em Vingadores – Guerra Infinita (este é o ano dele) e ele está ótimo. A Dominó de Zazie Beetz é divertida, embora pouco explorada.deadpool 2 domino in the cab

A maior pena do filme é o pouco espaço que tem a Míssil Megasônico Adolescente de Briana Hildebrand, que é sempre tão ótima em sua seriedade, mas desta vez, faz apenas um papel bem pequeno, mesmo com alguns detalhes sobre a personagem sendo acrescentados. Já Colossos tem um participação até maior neste filme, embora não esteja graficamente tão bem quanto no primeiro.

deadpool 2 Negasonic-Teenage-Warhead and yukioO  filme traz muitas surpresas quanto a elementos da trama, algumas viradas e conflitos, que servem mais para divertir do que aprofundar qualquer coisa. No bom sentido.

deadpool 2 crossarmO que vale em Deadpool 2 é o modo como a história é contada e não a história em si. Embora o escárnio total e falta de compromisso (e profundidade) possam comprometer o filme em longo prazo – ele pode ser esquecível com o tempo ou não terá tanta força ao se assistir de novo – pelo menos (e isso não é pouco em tempos como este) fará você morrer de rir durante duas horas, simplesmente não acreditando no que estão fazendo diante de você e pensando: “quem foi o louco que deixou eles filmarem isso?”.

***

Deadpool 2 é dirigido por David Leitch, a partir de roteiro de Rhett Reese, Paul Wernick e Ryan Reynolds; e o elenco traz: Ryan Reynolds (Wade Wilson/ Deadpool), Josh Brolin (Cable), Zazie Beetz (Dominó), Morena Bacarin (Vanessa), Julian Dennison (Russell), Karan Soni (Dopinder), Stefan Kapicic (voz de Colossos), Leslie Uggams (Blind Al), Eddie Marsan (diretor), Briana Hildenbrand (Míssil Megasônico Adolescente), Shioli Kutsuna (Yukio), T.J. Miller (Weasel), Jack Kesy (Black Tom Cassidy), com participação especial de Rob Delaney (Peter), Terry Crews (Bedlam), Bill Skarsgard (Zeigeist) e Lewis Tan (Shattlestar). A estreia no Brasil foi em 17 de maio de 2018.