Nos últimos dias, em resposta à comovente carta aberta do elenco de Guardiões da Galáxia em defesa do diretor James Gunn, após este ser demitido pela Disney em reação à divulgação de uma série de tuítes antigos carregados de mensagens de pedofilia e estupro disfarçados de piadas; começou a correr rumores de que a Disney poderia reconsiderar a questão e, com a volta do CEO Bob Iger de um curto período de férias, o diretor poderia ser recontratado. Bem, não vai acontecer. É o que garante a Variety afirmando que Gunn está mesmo demitido e que até já há uma lista de diretores favoritos para substituí-lo no Vol. 3 da saga, originalmente previsto para 2020.

A fonte da Variety, uma revista que não divulga “rumores”, mas notícias, foi enfática:

O sentimento dentro tanto da Disney quanto da Marvel é que as dúzias de pretensas piadas feitas por Gunn sobre pedofilia e estupro são inaceitáveis em tempos de #MeToo [a campanha de apoio aos direitos às mulheres após décadas de práticas machistas e de assédio sexual e mesmo estupro em Hollywood por parte de produtores, executivos, diretores etc.] E não estão alinhadas com a imagem amigável à família da Disney.

A Marvel já teria até planos de substituição, algo que irão fazer sem pressa, pois querem um diretor de primeiro time para comandar uma das franquias mais rentáveis do estúdio nos últimos anos, que transformou obscuros personagens de um time de heróis espaciais de terceira linha da editora em um dos maiores sucessos do cinema atual.

Os filmes, lançados em 2014 e 2017, porém, são realmente obras autorais de James Gunn, que não somente os dirigiu, mas escreveu os roteiros. Inclusive, os personagens são tão “do seu jeito” que, sem ser creditado, escreveu as falas deles em Vingadores – Guerra Infinita.

Então, precisará de muito calibre para assumir a franquia sem estragar tudo. E para isso a Marvel já tem uma lista de escolhidos: Jon Favreau (de Homem de Ferro), Taika Waitita (de Thor – Ragnarok) e os irmãos Joe e Anthony Russo (O Soldado Invernal, Guerra Civil e Guerra Infinita).

Ou seja, tudo dentro de casa, mas com diretores com grande experiência com comédia. Como todos estão bastante ocupados no momento (Favreau desenvolve uma série de TV para Star Wars; Waitita trabalha numa sequência de Ragnarok, embora ainda não oficializada; e os Russos ainda lançarão Vingadores 4 no ano que vem), Guardiões da Galáxia Vol. 3 não deve mesmo chegar aos cinemas em 2020, mas apenas um ou dois anos depois.