geoff emerick close up
Geoff Emerick: lenda na engenharia de som. 

Faleceu ontem em Los Angeles, nos EUA, o lendário engenheiro de som Geoff Emerick, que trabalhou em quase toda a carreira dos Beatles, gravando e sendo o responsável pelo áudio de álbuns como Revolver (1966), Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (1967) e Abbey Road (1969). O músico já tinha complicações cardíacas e usava um marcapasso, sofrendo de um ataque cardíaco fulminante enquanto falava ao telefone com seu empresário William Zabaleta.

beatles early recordings photo
Os Beatles gravando no Abbey Road, no início de 1963.

Nascido em Londres em um lar de classe média e apaixonado e estudioso de música clássica, Geoff Emerick se submeteu a uma seleção para a vaga de Assistente de Engenheiro de Som dos estúdios da gravadora EMI em Abbey Road, no norte de Londres, em 1962, quando ainda cursava o Ensino Médio. Foi aprovado e tinha apenas 15 anos quando,  em seu segundo dia de trabalho, foi designado sob a supervisão do engenheiro de som assistente Richard Langham, acompanhou o engenheiro do som Norman Smith e o produtor George Martin na primeira gravação dos Beatles, o single Love me do.

Nos três anos seguintes, Emerick participou eventualmente como engenheiro assistente das gravações dos Beatles, ao lado de seus superiores, Smith e Martin. Mas em 1966, Norman Smith foi promovido a produtor (ele gravou os primeiros álbuns do Pink Floyd) e Emerick subiu à categoria de engenheiro de som e se tornou o principal assistente de George Martin nas gravações dos Beatles.

Na época, a EMI tinha uma política muito estrita de que somente seus funcionários podiam trabalhar no estúdio, mas a popularidade e respaldo dos Beatles era tão grande que eles quebraram a regra: George Martin se demitiu da gravadora e passou a trabalhar como autônomo conduzindo as sessões da banda, o que permitiu que Smith se tornasse produtor e Emerick assumisse o cargo de engenheiro.

The Beatles at Abbey Road Studios for the 'Our World' live television broadcast, London, Britain - 25 June 1967
O empresário dos Beatles, Brian Epstein, uma garota não identificada, Geoff Emerick e George Martin à frente em meio a uma sessão dos Beatles. 

Sua estreia como principal responsável pelo som e os equipamentos de gravação de Abbey Road em suporte aos Beatles foi no álbum Revolver, de 1966. Com autonomia e ousadia, Emerick criou inúmeras inovações sonoras que tiveram grande impacto no som dos Beatles, como a criação do sistema ADT que duplicava o som em uma fita, gravando por cima, sem apagar o que havia antes (apenas resultando no delay de alguns microssegundos na nova gravação), o que funcionava como um sistema de eco automático e dava bons resultados para a gravação de solos de guitarra e de vocais, porque encorpava o som; uma técnica que a banda usou à exaustão. Foi ele quem criou também uma técnica de gravação em loops (uma curta gravação de um som ou de uma melodia que fica sendo repetida à exaustão) que foi muito usada pelos Beatles, em particular na faixa Tomorrow never knowns, que é montada praticamente toda em cima de loops.

Emerick também incrementou as gravações de baixo e bateria da banda. Para o primeiro, criou uma técnica que consistia em fazer um registro duplo do instrumento, gravando-o o som do instrumento via amplificador por meio de um microfone, como normalmente se fazia (o que garantia uma textura específica captada do estúdio); combinando esse som com o registro do instrumento ligado direto na mesa de som, sem intermediários, fazendo com que esta funcionasse como um microfone (o que dava um som mais forte, embora mais frio). A combinação da textura do estúdio com a força da mesa fez com o que o som do baixo de Paul McCartney ganhasse outros ares e mais importância dentro da música dos Beatles a partir do álbum mencionado.

Emerick foi engenheiro de som dos Beatles também em Stg. Peppers Lonely Hearts Club Band, de 1967, o lendário álbum que revolucionou o rock e a música popular no século XX e é o mais importante daquele século, por sua relevância e impacto cultural. O técnico ganhou o primeiro de seus quatro Grammys por este disco. Os outros seriam por Abbey Road (1969), álbum solo de Paul McCartney Band on the Run (1973) e pelo conjunto de sua obra em 2003. (O HQRock tem um post especial sobre o Sgt. Peppers, confira!).

geoff-emerick abbey road with mccartney harrison and martin
Paul McCartney (de costas), Emerick, George Harrison, uma garota não-identificada e George Martin na mesa de som de Abbey Road. 

Durante as tensas gravações do Álbum Branco dos Beatles, em 1968, Emerick desistiu de trabalhar com a banda, por causa de uma série de desentendimentos, mas principalmente, por causa que o produtor George Martin tirou férias no meio das sessões e deixou seu assistente particular, Chris Thomas, em seu lugar como produtor, embora este fosse bastante inexperiente (no futuro ele viraria um grande produtor, trabalhando com Pink Floyd, Elton John e Sex Pistols). Ainda assim, um ano depois, os Beatles o convidaram de volta para que ajudasse nas gravações de Abbey Road, que para muitos é o melhor álbum da banda e garantiu outro Grammy a Emerick.

geoff-emerick-beatles-engineer-dead-at-72-663x540
Emerick ao lado de Martin e Ringo Starr com o Grammy que ganhou por Abbey Road. 
geoff emerick and paul mccartney on abbey road
Geoff Emerick e Paul McCartney em Abbey Road. 

Todavia, Emerick sempre foi mais próximo de Paul McCartney dentro da banda e isso complicou sua relação com John Lennon e George Harrison, que nunca o usaram em suas gravações solo, preferindo outros engenheiros de som da EMI, como Ken Scott e, principalmente, Phil McDonald.

Por isso, Emerick participou de vários discos solo de Paul McCartney após o fim dos Beatles em 1970, como Band on the Run (1973), London Town (1978), Tug of War (1982) e Flaming Pie (1998).

geoffemerick on abbey road studios masterclassAlém dos Beatles, Emerick gravou um sem-número de grandes artistas, como Judy Garland, The Hollies, The Zombies, Manfred Mann, Elvis Costello – em dois álbuns célebres, Imperial Badroom (1982) e All This Useless Beauty (1996) – Jeff Beck, Supertramp, Nazareth, Gentle Giant, America, Art Garfunkel, Ultravox e o aclamado CD de estreia de Nellie McKay, Come Away From Me.

Emerick lançou um livro sobre as gravações dos Beatles em 2006, Here, There and Everywhere: Minha vida gravando os Beatles, lançado no Brasil pela Novo Século e vinha trabalhando com Master Classes, que inclusive, o trouxe ao Brasil em julho passado para um curso sobre gravação musical em Porto Alegre.

O engenheiro iria participar esta semana do Emerick’s London Revival na cidade de Tucson, no Arizona (EUA), onde responderia perguntas dos fãs dos Beatles. Ele atualmente morava em Los Angeles e passou mal enquanto falava ao telefone com o empresário William Zabaleta, que chamou a emergência, mas os paramédicos já o encontraram morto.

Geoff Emerick tinha apenas 72 anos.