A Academia de Artes e Ciências de Hollywood anunciou oficialmente ontem que a banda Queen + Adam Lambert irá se apresentar na entrega do Oscar 2019, que ocorrerá neste próximo domingo, dia 24 de fevereiro. A presença da banda é uma referência ao filme Bohemian Rhapsody, que concorre a vários prêmios na noite, incluindo Melhor Diretor e Melhor Ator para Rami Malek (o favorito ao lado de Christian Bale por Vice – um dos dois leva, embora eu apostaria no último).

Desde alguns anos após a morte de Freddie Mercury (que faleceu vítima do vírus HIV em 1991), os membros remanescentes do Queen, Brian May (guitarra) e Roger Taylor (bateria), começaram a se apresentar no formato Queen +, em que outros vocalistas convidados tomam o microfone. O quarto membro da banda, o baixista John Deacon, preferiu não fazer parte dessa empreitada e se aposentou da música.

Inicialmente apenas em ocasiões especiais – que os levou a tocar com George Michael, Elton John, Annie Lennox e David Bowie – o Queen + se tornou um projeto fixo a partir de 2004, com o vocalista Paul Rodgers, das bandas Free e Bad Company, e que tinha o mérito de ser alguém até mais experiente do que o próprio Mercury (afinal, o primeiro disco do Free é de 1969 e o Queen só estreou em 1973). Desde 2009 a banda se apresenta com Adam Lambert, que foi um dos vencedores do reality show X-Factor na Inglaterra.

Brian May e Roger Taylor são produtores executivos de Bohemian Rhapsody e já estariam na festa de qualquer maneira. Adam Lambert vai cantar, mas também tem uma pequena participação no filme, como um caminhoneiro que desperta o desejo em Mercury em um bar.