À esta altura, claro, todos já sabem os ganhadores do Oscar, e o HQRock noticiou os prêmios ao vivo, em nossa página no Facebook (veja aqui). Mas queríamos comentar (tardiamente) o que significam esses prêmios.

O grande ganhador da noite foi Green Book – O Guia, que levou o prêmio de Melhor Filme, enquanto Alfonso Cuarón levou Melhor Diretor (por Roma), Rami Malek ganhou por Melhor Ator (por Bohemian Rhapsody) e Olivia Colman ganhou Melhor Atriz (por A Favorita).

Mas no fim das contas, o maior ganhador da noite foi Bohemian Rhapsody, com 4 Oscars, levou , além de Melhor Ator, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Edição, alguns dos prêmios técnicos mais nobres. A cinebiografia do Queen, uma das mais queridas bandas de rock da história, com foco no lendário cantor Freddie Mercury, vivido por Malek, fez história, porque se saiu melhor do que outros grandes apostas da noite, como Roma, Vice ou Green Book. Roma (Melhor Diretor, Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia) e Green Book (Melhor Filme, Melhor Roteiro Original e Melhor Ator Coadjuvante, Mahershala Ali) levaram 3 prêmios cada um.

Dessa forma, Pantera Negra está no grande grupo da noite, pois também levou 3 Oscars: Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora. Isso é interessante porque são três prêmios muito artísticos, o que eleva a qualidade artística do longa dirigido por Ryan Coogler, que ainda concorreu por Melhor Filme, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhor Canção.

Com isso, Pantera Negra faz história ao ser o filme de quadrinhos mais bem premiado da história do Oscar. Somado ao impacto cultural e histórico que a aventura do super-herói da Marvel Comics causou ao ser lançado, o torna, provavelmente, um dos mais importantes da história do gênero.

Outros grandes filmes do gênero, já foram premiados em categorias como Melhor Efeitos Visuais, porém, na busca por prêmios mais nobres, isso é bem raro. Logan chegou a ser indicado a Melhor Roteiro Adaptado no ano passado, mas claro, não levou. Entre os que levaram prêmios “mais nobres”, Batman – O Filme (1989) ganhou o Oscar de Melhor Direção de Arte; Batman Begins ganhou o Oscar de Melhor Fotografia; e Batman – O Cavaleiro das Trevas ganhou Melhor Ator Coadjuvante (Heath Ledger) e Melhor Mixagem de Som.

E falando em Efeitos Visuais, talvez, a grande queixa da noite foi Vingadores – Guerra Infinita não levar o prêmio desta categoria no Oscar. Sabemos que o Oscar tem um componente político – não é só o prêmio em si ou na categoria em si – então, o impacto cultural e a excelente recepção do público poderiam garantir à aventura dos Vingadores suficiente merecimento para levar o prêmio, sem falar nos efeitos especiais sensacionais do longa de Joe e Anthony Russo, em particular a criação do próprio vilão Thanos, vivido por Josh Brolin, que é o melhor personagem de CGI já criado entre todos.

Já que Guerra Infinita não foi indicado a nenhum outro prêmio, e a lógica de Hollywood não permitiria, então, o momento dele ser lembrado e celebrado na noite do Oscar seria levando Melhor Efeitos Visuais. Mas quem ganhou foi O Primeiro Homem, sobre a experiência de Neil Amstrong no pouso da Apollo 11 na Lua, em 1969, estrelado por Ryan Goslin, que também só teve esta indicação.

Por fim, vale a menção a Homem-Aranha no Aranhaverso, que ganhou o Oscar de Melhor Animação e vem sendo recebido como grande entusiasmo por público e crítica como um filme sensacional.