Um mal entendido terrível ocorreu nas notícias de hoje: a própria página oficial Facebook (e no Instagram, também) do RPM, uma das bandas de rock de maior sucesso do Brasil, anunciou a morte do baterista Paulo Antônio “PA” Pagni, apenas para negar o ocorrido poucas horas depois.

O guitarrista do grupo, Fernando Deluqui gravou um vídeo para explicar o ocorrido (segundo a transcrição do UOL):

Estou aqui em Salto, no interior de São Paulo, onde o nosso amigo P.A. está internado. Gente, aconteceu um negócio super inusitado, e eu quero contar para vocês a verdade, porque está a maior confusão. “O P.A. está vivo? O P.A está morto?”

O que aconteceu foi o seguinte: hoje pela manhã, profissionais da clínica Good Master, onde ele estava internado, entraram em contato comigo dizendo que ele havia falecido. Eu fiquei muito triste e quis confirmar com o médico, que tem passado os prontuários diariamente. Através do doutor Alex Müller Coutinho, eu obtive a confirmação de que P.A. havia falecido.

Então, a minha esposa e eu começamos a tomar as providências, viemos até a casa do P.A. em Araçariguama, pegamos roupas, documentos, tudo para liberação do corpo e nos encaminhamos aqui para o PS do Hospital São Camilo.

Foi aí que tivemos uma notícia muito surpreendente: que o P.A. estava vivo, para o nosso alívio. E agora, a gente está querendo saber, que engano foi esse.

Mas com anúncio da página, várias pessoas escreveram condolências, inclusive, o cantor Paulo Ricardo, ex-membro do RPM que recentemente travou uma batalha judicial com os antigos companheiros.

Segundo o cantor, Pagni sofre de fibrose pulmonar.

O estado do baterista, aparentemente, permanece muito grave.