O rock brasileiro perdeu uma de suas grandes vozes! André Matos, ex-vocalista de bandas importantes e influentes do heavy metal, como Angra, Shaman e Viper morreu hoje. A notícia foi vinculada na conta oficial do Shaman no Twitter, banda que havia reunido sua formação original e com as quais Matos vinha se apresentando. O cantor tinha apenas 47 anos e sucumbiu a um ataque cardíaco, segundo as notícias.

André Matos nasceu na cidade de São Paulo, em 1971, e ainda criança começou a estudar piano e teclado. Ele ganhou notoriedade com a banda Viper, fundada em 1985, quando tinha apenas 13 anos, com a qual lançou dois discos, The Killera Sword (1985 – Demo), Soldiers of Sunrise (1987) e Theater of Fate (1989), e que ganhou notoriedade internacional no campo do heavy metal, especialmente, no Japão.

Matos deixou o grupo para estudar música e terminou se bacharelando em Regência Orquestral e Composição Musical, período em que também estudou canto lírico, que se transformou em sua marca. Na faculdade, conheceu Rafael Bittencourt e nasceu a ideia de montar um tipo de supergrupo de heavy metal melódico, que unisse a fúria do rock com a música erudita, da qual eram muito fãs. Daí, nasceu o Angra em 1991.

Reunindo depois o também guitarrista Kiko Loureiro, o Angra lançou discos clássicos do rock nacional, como Angels Cry (1993), Holly Land (1996) e Fireworks (1998). O Angra teve um impacto muito maior do que o Viper, e a banda realmente fez sucesso no circuito de metal da Europa e do Japão, com seus discos sendo lançados lá e clipes sendo vinculados na versão britânica da MTV e no canal VH1.

Mas uma série de desentendimentos levou a uma cisão com os guitarristas Bittencourt e Loureiro, de modo que Matos e outros ex-membros do Angra fundaram o Shaman, em 2000, que também bastante sucesso, em discos como Ritual (2002) e Reason (2005). Embora nunca tenha tido a importância musical do Angra, o Shaman teve ainda mais sucesso comercial no mercado brasileiro, com algumas de suas canções conseguindo até tocar nas rádios e na TV.

André Matos deixou o Shaman em 2006 e partiu em carreira solo , que gerou os discos Time to Be Free (2007) e Mentalize (2009), mas ele ainda fundou o supergrupo Symphonia, em 2010, com ex-membros de bandas famosas de power metal finlandesas, como Stratovarius e Sonata Arctica, e o baterista alemão Uli Kusch, que tocou com Helloween, Gamma Ray e Masterplan. O Symphonia lançou um único disco, em 2011.

Dali, Matos realizou uma mini-reunião do Viper, com o qual se apresentou no Rock In Rio de 2013. Em 2018, André Matos reuniu a formação original do Shaman e a banda saiu em turnê. No último domingo, a banda realizou um show no Espaço das Américas, em São Paulo.

Dono de uma voz de grande alcance, André Matos deixou uma impressão muito forte no rock brasileiro e com a combinação de metal e erudito conseguiu atrair ao campo do metal muitos fãs que não ouviriam esse tipo de música normalmente.