Os fãs mobilizam o mercado musical, mas às vezes, alguns têm posturas que ultrapassam todos os limites: o site de fãs Joy Division Central noticiou que o túmulo de Ian Curtis, o lendário vocalista do Joy Division, foi vandalizado!

Na conta do Twitter do site dos fãs, uma postagem alertou que o topo da placa fúnebre da tumba foi removida e que houve tentativa de remover a placa principal, na qual consta o nome do cantor, sua data de falecimento e a letra de sua canção mais conhecida, Love will tear us apart.

O Túmulo com a placa do topo ausente.

O site também destaca que nem é a primeira vez que isso ocorre: o túmulo já havia sido vandalizado em 2008.

Outras postagens de fãs fizeram perceber que há duas semanas atrás, no meio de julho, a placa já havia sido roubada, mas uma fotografia de maio exibia a tumba intacta.

O túmulo completo meses atrás.

O site ainda acrescenta que a peça roubada em 2008 nunca foi recuperada e a família do cantor e compositor teve que repô-la, o que lhes causou profunda tristeza.

Ian Curtis nasceu em 1956, em Manchester, na Inglaterra e era fã de música e literatura. Em 1976, num show da banda punk Sex Pistols conheceu os futuros membros da banda, Peter Hook e Bernard Sumner, e fundaram a Warsaw, que depois foi rebatizada de Joy Division.

Curtis sofria de depressão e de epilepsia, e alguns afirmam que também tinha um pouco de ágorafobia. Suas canções eram profundas, tristes e sombrias, com letras fortes.

O grupo conseguiu um contrato com a lendária gravadora Factory Records e lançou dois álbuns, Unknown Pleasures (1979) e Closer (1980), antes do vocalista cometer suicídio, em 18 de maio de 1980.

A banda virou um dos ícones do movimento pós-punk e grande influência do indie rock posterior. Em 2012, uma enquete do New Musical Express (NME) colocou Love will tear us apart como a melhor canção dos últimos 60 anos, numa lista que inclui nomes como Beatles, Rolling Stones, David Bowie, Beach Boys e muitas bandas pós-punks.

Com a morte de Curtis, os membros remanescentes do Joy Division permaneceram juntos e fundaram outra banda importante: o New Order, que teve uma pegada mais eletrônica.