O Pink Floyd está lançando um box set chamado The Later Years, na qual explora seu catálogo tardio, construído após a saída do ex-líder e fundador Roger Waters. Embora bastante polido e cuidadoso, numa entrevista para divulgar o novo material, o guitarrista David Gilmour afirma que a mudança trouxe alívio e liberdade à banda, eliminando a tensão dos tempos anteriores.

David Gilmour: de volta a Pompeia 45 anos depois.

Os comentários são do vídeo de divulgação do canal oficial do Pink Floyd no YouTube.

Todos sabíamos que Roger [Waters] iria sair. Ele não estava feliz, nós também não. Eu sempre soube que queria seguir em frente, Nick parecia desejar isso também. Falei com Rick [Wright] durante uma folga, na Grécia, e conversamos sobre seguir em frente e ele também queria.

O baixista Roger Waters havia fundado o Pink Floyd em 1965, em Londres, ao lado do baterista Nick Mason, do tecladista Richard Wright e do guitarrista Syd Barrett, que se tornou o líder e principal compositor. Com este à frente, a banda chamou a atenção do circuito underground e lançando seus primeiros discos em 1967, mas uma grande mudança ocorreu, porque Barrett abusou no uso de drogas e literalmente enlouqueceu, saindo do Pink Floyd em 1968. Para substituí-lo, Waters convidou outro amigo de infância dos tempos de Cambridge, tal qual Barrett, na figura do guitarrista David Gilmour.

Wright, Waters, Gilmour e Mason em 1972.

Enquanto Waters se consolidou como o novo líder e o principal compositor da banda, Gilmour se tornou o principal vocalista. A formação Waters, Gilmour, Wright e Mason lançou as obras mais importantes do Pink Floyd e deixou de ser underground para se tornar um dos maiores sucessos da história do rock, a partir de 1973, com o álbum Darkside of the Moon.

Mas com o tempo, as tensões cresceram muito dentro do grupo, enquanto Waters se tornava cada vez mais autoritário. As sessões do álbum The Wall (1979) resultaram na demissão de Wright e ao ponto total de ruptura no disco The Final Cut (1983). Em seguida, tanto Waters quanto Gilmour fizeram trabalhos solo, mas enquanto Waters escreveu uma carta à gravadora EMI comunicando o fim do Pink Floyd, Gilmour e Mason decidiram manter a banda ativa e trouxeram Wright de volta. Seguiu-se um ruidoso processo judicial que autorizou a permanência da banda.

Wright, Mason e Gilmour em 1987.

A Justiça, contudo, colocou como obrigatória um novo trabalho do grupo sobre a nova condição e Gilmour, Wright e Mason se reuniram para gravar A Momentary Lapse of Reason, que sairia em 1987.

Inicialmente, nos encontramos em 1986. Bob Ezrin foi chamado para a produção porque ele fez o The Wall conosco, lá em 1979, e aprendi muito com ele. É uma pessoa de muito valor para se ter conosco. Começamos a trabalhar em minhas composições e, no Natal, tínhamos um bom material. Sabíamos que iria ser legal

O guitarrista, então, comenta sobre como a ausência de Waters deixou para trás as tensões e foi libertadora aos outros músicos:

Eu me sentia confiante de que as gravadoras gostariam de lançar um álbum nosso. Obviamente, não ter Roger foi algo diferente, mas em algumas formas, nos sentíamos livres. As tensões dos dois álbuns anteriores, especialmente em The Final Cut, já não estavam mais ali. Éramos apenas nós juntos, compondo e gravando. Havia um senso de liberdade e otimismo. Também havia o processo rolando, o que era complicado, mas tudo bem.

A Momentary Lapse of Reason foi lançado e fez bastante sucesso, rendendo uma grande turnê mundial, mas a crítica pesou sobre o disco, por sua sonoridade muito tributiva aos maneirismos dos anos 1980. É um dos álbuns menos apreciados do Pink Floyd, mas sua turnê rendeu o disco ao vivo The Delicate Sound of Thunder, de 1988. No box set, o disco de estúdio ganha uma remixagem, talvez aparando um pouco as arestas musicais.

O Pink Floyd ensaiando em 1993: The Endless River.

O trio Gilmour, Wright e Mason gravou um segundo álbum de estúdio, que foi muito melhor sucedido, The Division Bell, em 1994, que rendeu outro ao vivo, Pulse, em 1995. Essas sessões de estúdio renderam ainda o lançamento póstumo do disco The Endless River, de 2016, montado a partir de faixas instrumentais, como um tipo de tributo a Wright, que faleceu em 2008, vítima de um câncer.

Na prática, o Pink Floyd havia encerrado as atividades em 1996, mas houve uma única reunião do quarteto clássico, com Waters, Gilmour, Wright e Mason no Live 8, festival contra a reunião do G8 e a favor do fim da dívida dos países pobres, ocorrido em 2005.