Os fãs guardam grande esperança de que Homem-Aranha 3 trouxesse o advogado Matt Murdock, que também é o Demolidor, como o defensor de Peter Parker, uma vez que o garoto teve sua identidade secreta revelada ao mundo no final de Homem-Aranha – Longe de Casa. Seria a oportunidade perfeita de unir os personagens do Marvel Studios àqueles das séries da Marvel na Netflix. Ainda mais depois que o We Got This Covered (um site não tão confiável, mas bastante popular) ter popularizado a história. Mas parece que não vai acontecer. Pelo menos é o que diz o ator Charlie Cox, que viveu o homem sem medo na série de TV.

Demolidor.

Em uma entrevista ao Comic Book, Cox deixou claro que não está envolvido com essa história.

Eu não ouvi esses rumores, mas com certeza não é com o meu Demolidor. Eu não estou envolvido nisso. Se isso é verdade, não é comigo, é com outro ator [vivendo o herói].

Perguntado se gostaria que acontecesse, Cox foi positivo:

Como um fã dos filmes da Marvel, eu amo o pequeno trabalho deles aparecerem aqui e ali, mas porque nós estávamos na Netflix, não estávamos aptos a fazer isso, por causa de questões legais. Não sei por que. Mas eu amo a ideia de Jessica [Jones] e Matt [Murdock] aparecerem em um fundo de cena ou Matt como um advogado auxiliando Peter Parker. Isso é muito, muito legal.

Sem dúvidas seria um movimento esperto do Marvel Studios colocar Matt Murdock como advogado de Peter Parker, o que é algo referente aos quadrinhos, onde os dois são bastante amigos e conhecem as identidades secretas um do outro desde as histórias dos anos 1980.

Porém, como Cox afirmou, existem questões legais aos quais não estamos bem informados.

A Marvel e a Netflix firmaram uma parceria explosiva quando anunciada em 2015: a produção de quatro séries de alto orçamento e 13 episódios (Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro), que culminariam na realização da minissérie Os Defensores reunindo a todos. Quando Demolidor estreou foi um estouro, com um enorme sucesso – um dos maiores da história do Netflix – aclamado pela crítica. Jessica Jones também impressionou com seu peso e densidade, embora talvez por isso mesmo, não fez tanto sucesso. Luke Cage foi bem recebido e Punho de Ferro foi o mais fraco. Os Defensores não foi bem realizado e fracassou.

Ainda assim, o quadro geral foi positivo: a segunda temporada de Demolidor gerou um spin-of com O Justiceiro, as outras séries tiveram suas segundas temporadas (inclusive esta última) e Demolidor chegou à terceira temporada (novamente muito elogiada e de grande sucesso). Contudo, a parceria Netflix-Marvel foi abruptamente encerrada, com cada um dizendo que foi o outro quem rompeu.

Em meio às acusações de cada lado, o que prevaleceu na imprensa foi a informação de que a decisão da The Walt Disney Company (empresa-mãe da Marvel) de ter seu próprio canal de streaming, o Disney+, e fazer concorrência direta com a Netflix, foi o grande fator. Também foi noticiado que o contrato entre as duas empresas impedia a Marvel de usar aqueles personagens por um período de dois anos após o fim da exibição.

Contudo, ninguém sabe ao certo os detalhes do negócio nem as implicações para a Marvel.

O que temos de fato é que a Marvel TV também implodiu no rescaldo da cisão e o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, foi promovido pela Disney a Diretor de Conteúdo de toda a Marvel Comics, incluindo a TV. E Feige aparentemente não se mostra muito disposto a mexer na caixinha de brinquedos da velha subsidiária nem em seus produtos com o Netflix.

Muitos esperam que Feige irá dar um tempo ao tempo e, depois, fazer um reboot completo para levá-los aos cinemas ou para as novas séries de TV, que irão ser exibidas no Disney+.

Dessa forma, entre os programas do Disney+ já anunciados, além de “sequências” diretas dos filmes – como Loki, WandVision, Falcão e o Soldado Invernal e Gavião Arqueiro – virão produções com personagens novos, como Mulher-Hulk, Miss Marvel e Cavaleiro da Lua.

Notoriamente, a Mulher-Hulk é uma advogada nos quadrinhos e ela pode (e deve) tomar o lugar de defensora de Peter Parker em Homem-Aranha 3, em vez de Matt Murdock. O que é uma pena… Nada contra Jennifer Walters – uma personagem com grande potencial, em particular, para a comédia – mas Peter e Matt têm toda uma história e um vínculo nas HQs que seria muito legal desenvolver nos filmes.

Nos quadrinhos há uma diferença de idade entre os dois – Peter é retratado como um jovem e Matt como um advogado de carreira, o que dá pelo menos uns 5 ou 8 anos de diferença, mas tal ponto nunca foi uma grande questão nas melhores histórias, e sim, outros elementos, como a moral inocente (ingênua) do Homem-Aranha contra a visão mais cínica do Demolidor (um advogado), além das agruras da vida de um super-herói com identidade secreta – o que inclui até ambos terem tido namoradas assassinadas por causa disso.

Nos filmes, a diferença de idade entre os atores Charlie Cox e Tom Holland sugere até mais diferença entre os personagens, mas Matt poderia assumir um papel tutorial ao jovem Aranha, como um tipo de substituto do falecido Homem de Ferro.

Com o filme aracnídeo adiado por causa da epidemia global do novo coronavírus, quem sabe isso dá o tempo necessário à revisão dos planos e Cox recebe aquele convite esperto para retornar ao uniforme vermelho?

Bom, até onde se sabe, o roteiro de Homem-Aranha 3 já está escrito, pois Holland já fez menção ao texto (disse que era “insano”) e as filmagens estavam previstas para começar em breve, o que não deve mais acontecer pelos próximos meses por causa da Covid-19.

Homem-Aranha 3, parceria do Marvel Studios com a Sony Pictures, está agendado para estrear no dia 05 de novembro de 2021.