Há algum tempo surgiu um rumor de que os filmes da Mulher-Maravilha ganhariam um spin-off (derivado) focado nas Amazonas, e agora, em uma entrevista à Total Film, a diretora Patty Jenkins confirma os planos. Mas disse que não irá dirigi-lo.

Perguntada pela revista sobre o spin-off, Jenkins foi direta e franca:

Eu não vou bater o martelo sobre isso até este filme [Mulher-Maravilha 1984] sair, porque eu meio que quero me dar uma paleta mais clara e fresca para minhas ideias. Mas sim… Há um arco que tenho em mente para o primeiro filme; então, o segundo; então, o filme das Amazonas; e por fim, o terceiro filme [da Mulher-Maravilha].

Mas Jenkins afirmou que, com sorte, ela não irá dirigir o spin-off.

Eu não irei dirigi-lo, eu espero. Eu vou insistir veementemente para não fazer. Não vai ser fácil. Mas Geoff Johns e eu viemos com essa história, e vendemos a proposta [do filme das Amazonas], e vamos fazê-lo. Eu irei produzi-lo, com certeza.

Sem dúvidas é uma boa ideia, pois enquanto a DC Films pode produzir o filme das Amazonas – e há uma série de histórias interessantes sobre as guerreiras que podem ser contadas, especialmente no passado – enquanto Jenkins se concentra em fazer Mulher-Maravilha 3.

Mulher-Maravilha 1984 está previsto para estrear em 14 de agosto, após ser adiado de sua data original de julho, por causa da pandemia global do novo coronavírus. Em vista do cenário dos Estados Unidos serem o país mais atingido do mundo pela Covid-19, já se comenta que o longa pode ser adiado outra vez. Talvez até para o ano que vem.

Isso gerou um rumor de que o filme da princesa amazona poderia ir direto para o streaming em vez de sair nos cinemas, mas a CEO da Warner Bros., Ann Sarnoff, garantiu que a heroína irá sair nos cinemas após uma declaração do diretor da Warner Media, John Stankey, ter causado burburinho ao afirmar que o estúdio estava estudando novas formas de lançamento para os filmes dentro do cenário global atual. Mas Sarnoff é a chefe maior e a palavra dela é a que vale.

As Amazonas têm origem na Mitologia Grega, na qual são descritas como uma raça de guerreiras que vivia às margens do Mar Negro e eram famosas por sua grande eficiência em batalha. Elas, porém, foram derrotadas pelo ataque combinado de Hércules e Teseu. Uma geração depois, as guerreiras são mencionadas novamente participando da Guerra de Troia aliadas dos troianos contra as forças de Aquiles e os gregos.