A nova versão do filme Let it Be, dos Beatles, foi adiada para 2021 por causa da pandemia mundial do novo coronavírus, é o que divulgou o Disney Studios (via Ultimate Classic Rock). O documentário dirigido por Peter Jackson (de O Senhor dos Anéis), a partir das filmagens originais de 1969, seria lançado em setembro deste ano, mas agora ficou para agosto do ano que vem.

The Beatles – Get Back é mais um dos produtos que a Disney está adiando para 2021, em vista que, mesmo que a diminuição da infecção da Covid-19 no segundo semestre deste ano, é muito provável que estabelecimentos como cinemas – ou casas de shows – que aglomeram uma grande quantidade de pessoas em um espaço pequeno, não voltem a funcionar normalmente. Ou mesmo nem possam abrir enquanto não é produzida e distribuída em larga escala uma vacina.

Estudiosos estimam que, em vista das atuais condições sanitárias, mesmo que o isolamento social obrigatório para evitar a contaminação seja encerrado, salas de cinema, na melhor das hipóteses, só poderão funcionar em condições muito restritas, como por exemplo, uma sala para 300 pessoas (mais ou menos padrão das salas multiplex) só poderem ser usadas por 40 ou 50 pessoas por vez e ainda serem higienizadas severamente a cada sessão, o que aumentará seu custo de funcionamento.

Por isso, apesar de algum otimismo em Hollywood, que ainda mantém datas de estreias de filmes para os meses de agosto a dezembro deste ano – como Mulher-Maravilha 1984 ou 007 – Sem Tempo para Morrer – é possível que, caso lançados, esses filmes tenham bilheterias bem baixas, ou mesmo, nem possam ser lançados este ano.

A Disney está se adiantando e marcando um lançamento “confortável” para o ano que vem.

The Beatles – Get Back mostrará uma nova visão sobre o desastroso projeto dos Beatles de tentarem regressar aos palcos após três anos sem fazer shows, em janeiro de 1969. Mas as relações internas estavam tão ruins que, embora o grupo tenha preparado todo um novo repertório de canções, se limitou a ensaiá-las e fazer um concerto de improviso no telhado do prédio da gravadora Apple, que lhes pertencia.

Todo o processo foi filmado pelo diretor Michael Lindsay-Hogg, que lançou o filme Let it Be, em maio de 1970. Os ensaios dos Beatles também foram reunidos e lançados como um álbum no mesmo período. Porém, em vista das tensões do momento, até esse trabalho de organizar sons e imagens foi extremamente complexo e demorado, o que explica os 16 meses de intervalo entre execução e lançamento. No intermédio, os Beatles gravaram e lançaram o álbum Abbey Road, ainda em 1969, o que terminou sendo o último em que trabalharam juntos.

Mas Let it Be foi lançado depois e quando chegou às lojas de discos, e aos cinemas, o anúncio da separação da banda já havia saído na imprensa.

O diretor Peter Jackson acessou todo o material gravado em 1969 e resgatou a qualidade de som e de imagem, preparando um novo documentário que promete lançar uma nova luz (mais otimista) sobre todo o processo.

Saiba como foi o fim dos Beatles neste post especial do HQRock.

Saiba tudo sobre o projeto Get Back/ Let it Be dos Beatles neste superespecial Dossiê do HQRock.

Os Beatles se formaram em Liverpool, na Inglaterra, por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, estreando em disco em 1962 e já sendo um enorme sucesso no país e na Europa no ano seguinte, para conquistar os EUA e o mundo em 1964. Eles se tornaram a mais influente e popular banda de rock do século XX e lançaram 13 álbuns em apenas 7 anos de carreira fonográfica. O fim do grupo foi anunciado em 1970 e seus membros seguiram em carreiras solos de sucesso. John Lennon foi assassinado por um fã com distúrbios mentais em 1980 e George Harrison sucumbiu a um câncer em 2001, enquanto Paul McCartney e Ringo Starr prosseguem vivos e atuantes.