Morreu na quinta-feira, dia 16 de julho, o baterista norteamericano Jamie Oldaker, cuja obra mais conhecida foi ter acompanhado o guitarrista Eric Clapton em sua fase clássica dos anos 1970. Oldaker vinha batalhando contra um câncer já há alguns anos.

Jamie Oldaker nasceu em 1951 em Tulsa, em Oklahoma, nos Estados Unidos, e se encantou com a música ao assistir à histórica apresentação dos Beatles no programa de Ed Sullivan, em fevereiro de 1964. O baterista ganhou destaque no cenário musical com seu trabalho com Clapton.

Ao longo dos anos 1960, Jamie Oldaker havia tocado na banda Rogues Five, que fez sucesso local em Tulsa e chegou a abrir um show do The Doors e a aparecer na TV regional. Depois, tocou na banda de Leon Russell, o que o colocou em contato com Carl Randle.

Derek and the Dominos: músicos do mais alto calibre em gravações sensacionais. Carl Randle é o da direita.

E aqui cabe um parêntese. Randle também era de Tulsa, mas migrou para Los Angeles e se tornou um destacado músico de estúdio, depois ingressando na Delaney & Bonnie & Friends, em 1969, que “evoluiu” para o Derek and the Dominos, a última das bandas de Eric Clapton, em 1970 e 71, antes do guitarrista interromper a carreira por causa do uso exagerado de drogas. Com o fim dos Dominos, Carl Randle voltou para os EUA e para Tulsa e montou uma nova banda, em 1972, tendo ele no baixo, Jamie Oldaker na bateria, Dick Sims nos teclados e George Terry na guitarra.

Randle enviou uma fita demo da banda com Oldaker para Clapton em 1973, no momento em que o guitarrista passava por uma série de tratamentos para se livrar das drogas. Clapton disse em seu livro que o som da banda serviu de estimulo para retomar a carreira. Em 1974, assumindo pela primeira vez um tipo de carreira solo mesmo, Clapton escolheu ir para Miami gravar um novo disco e usar a banda de Randle e Oldaker, saindo dali o álbum 461 Ocean Boulevard, um dos maiores sucessos de sua carreira.

Oldaker e o resto da banda se tornaram os músicos acompanhantes de Clapton durante quase todo o resto da década, tocando em álbuns e shows do guitarrista até 1979, quando todos foram demitidos e o músico montou um grupo novo. Por causa disso, Oldaker tocou em alguns dos maiores clássicos de Clapton, como I shot the sheriff, Cocaine, Knockin’ on heavens door, Wonderful tonight e muitas outras.

Após deixar Clapton, Oldaker tocou com Peter Frampton durante muito tempo, mas voltou a tocar com Clapton entre 1985 e 86, tocando no álbum Behind the Sun (1985) e no concerto do Live Aid, aparecendo depois, na seção de blues do álbum ao vivo 24 Nights, de 1990.

Paralelamente, ele ingressou na banda de Ace Frehley (do Kiss), Frehley Comets, no álbum Second Sighting, de 1988; tocando ainda com Bee Gees, Peter Frampton e Leon Russell; e também participando da banda country The Tractors, com a qual lançou discos em 1994, 1995 e 1998.

Nos últimos anos, o baterista investiu bastante em trabalhos de caridade, ajudando os músicos de Oklahoma, os trabalhadores e os sem-teto, por meio da organização de concertos beneficentes e levantamento de fundos.

Oldaker tinha 68 anos e morreu de câncer em sua casa, em Tulsa, ao lado da família.