O Daily Mirror trouxe uma reportagem esses dias que mostra que um pesquisador literário descobriu o endereço de James Bond, o agente 007.

Daniel Craig como James Bond no próximo filme de 007.

William Boyd fez uma grande pesquisa nos livros escritos por Ian Fleming e localizou qual seria o endereço verdadeiro da casa de 007: o número 25 da Wellington Square, no bairro Chelsea, em Londres!

Curiosamente, o endereço está a apenas um quarteirão da casa de outro famoso espião da ficção, George Smiley, dos livros de John Le Caré.

A maneira como Ian Fleming imaginava Bond, num desenho de autor desconhecido.

Boyd localizou a casa de James Bond estudando os livros do agente secreto a serviço de sua majestade escritos por Ian Fleming, mas especial aos volumes Moonraker, From Russia with Love e Thunderball. O pesquisador localizou uma série de pistas que lhe permitiram localizar com certeza qual casa 007 habitava, graças à natureza incrivelmente detalhista e precisa sobre informações com que Fleming escrevia seus livros.

Por isso, apesar de nunca nomear explicitamente o endereço de Bond – diferente do que Arthur Conan Doyle havia feito com Sherlock Homes – é muito provável que Fleming tivesse uma casa específica para seu personagem. Isso permitiu a Boyd descobrir qual.

Criador e criatura: Sean Connery e Ian Fleming nos sets de Dr. No, em 1962.

Em alguns livros é dito que Bond mora em Chelsea, num flat confortável defronte a uma agradável praça cheia de arvores, mas esta é uma característica muito comum ao bairro, uma localização de classe média alta no oeste de Londres, na qual o roqueiro e líder dos Rolling Stones, Mick Jagger também tem sua casa.

Sempre fumando, Fleming teve uma morte precoce.

Mas no livro Moonraker, de 1961 – que foi adaptado ao cinema como 007 contra o Foguete da Morte, em 1979 – Fleming descreve Bond saindo correndo de seu apartamento, cruzando a praça, entrando na King’s Road e, então, rapidamente entrando na Sloane Street e entrando no Hyde Park. E a Wellington Square está justamente a um quarteirão de King’s Road, na qual se virar à direita, terá a Sloane Street no quarteirão seguinte, e na qual se seguir em frente por mais algumas quadras dará no meio do Hyde Park.

O número 25 da Wellington Square, em Chelsea, em Londres.

A martelada final para o mistério foi que quando Boyd foi investigar as casas localizadas na Welling Square, descobriu que o número 25 foi habitado nos anos 1950 por Desmond McCarthy, o chefe dos críticos literários The Sunday Times, na mesma época em que o próprio Ian Fleming trabalhava no jornal como correspondente estrangeiro. E McCarthy era um notório anfitrião de festas que Fleming deve ter frequentado.

Fleming: sua própria biografia rendeu elementos para compor James Bond como personagem.

Fleming teve uma vida burlesca: fez carreira na Marinha Britânica e se tornou, ele próprio, um agente secreto nos tempos da II Guerra Mundial, responsável por um departamento de análise de informações. Os contatos e a prática da espionagem o deram grandes credenciais para atuar como jornalista no estrangeiro, de modo que o escritor se gabava de que nunca descrevera uma locação nos livros a qual não estivesse frequentado de verdade. E todos sabem como Bond viaja em suas histórias.

É muito provável que Fleming tenha usado a mesma lógica de suas viagens e usado a aprazível residência de McCarthy como locação para a casa de James Bond, mesmo que nunca tenha explicitado isso.

Sean Connery vive James Bond pela última vez na série oficial, em 1971.

O Mirror por fim diz que o número 25 da Wellington Square pertenceu à família de McCarthy até pouco tempo, sendo hoje propriedade do MD do Boston Consulting, Frank Cordes, que coincidentemente, é um grande fã de 007.

A Baker Street, em Londres, abriga um museu sobre Sherlock Holmes. Será que Londres não precisa de outro museu dedicado a um célebre personagem da ficção? Já que Cordes é fã de James Bond, não poderia pegar sua casa de mais de 4 milhões de libras e fazer um negócio com a EON Productions, dona dos direitos do personagem, e transformá-la em um local dedicado a 007?

Se para Bond, O Amanhã Não é o Bastante, para nós, sonhar também não deve ser para, não é?

Os seis James Bond do cinema: Sean Connery, George Lazemby, Roger Moore, Timothy Dalton, Pierce Brosnan e Daniel Craig.

***

James Bond, o agente secreto 007 foi criado pelo escritor Ian Fleming para o livro Cassino Royale, de 1953, que com o sucesso se transformou em uma série de livros narrando as aventuras do espião. O autor publicou 14 livros antes de morrer, em 1964, mas comissionou o personagem para ser levado ao cinema pela EON Production, que depois terminou comprando os direitos do personagem da família do escritor. No cinema, 007 já foi vivido por seis atores diferentes e estrelou 25 filmes desde 1962.