Após ser o Superman, de chamar a atenção como o oponente de Tom Cruise em Missão Impossível e encantar os fãs no mundo como o mago em The Witcher, Henry Cavill está de novo nos holofotes interpretando Sherlock Holmes no filme Enola Holmes, focado na irmã mais nova do detetive mais famoso do mundo. Ele voltará no ano que vem ao papel do homem de aço da DC Comics na versão de Zack Snyder de Liga da Justiça, que fora lançado em 2017 refeito por Joss Whedon. Esses dias, o The Hollywood Reporter noticiou que, ao contrário do que se esperava, Liga da Justiça terá um curto período de refilmagens com o elenco principal e o nome de Cavill estava entre os que iriam retornar às gravações durante uma semana de outubro. Mas o ator nega que isso irá ocorrer.

Em entrevista ao Collider, Cavill diz que não irá participar das refilmagens da Liga da Justiça:

Não vou gravar nenhum material adicional [para Liga da Justiça]. São coisas que já foram feitas antes. Não sei como as coisas irão ser, como irão se adaptar à nova duração do filme [que terá 4 horas de duração, ao contrário das 2 horas da versão do cinema]. Talvez irão mudar na pós-produção ou aplicar qualquer lição aprendida nesses quatro anos desde que o filme saiu [foram três, na verdade], quatro anos de reações dos fãs. Mas eu estarei apenas assistindo à festa toda.

Não fica claro se as novas cenas do Superman não serão necessárias ou se Cavill se recusou a fazê-las. Em entrevistas passadas, ao ser perguntado sobre Liga da Justiça, Cavill disse que o filme não funcionou e que aquilo era passado e que estava preocupado em construir o futuro do Superman nos cinemas.

É compreensível que o ator tenha maus sentimentos por Liga da Justiça, pois as refilmagens comandadas por Joss Whedon foram realizadas durante um breve intervalo nas gravações de Missão Impossível 6 (depois que Tom Cruise quebrou o pé nas filmagens); mas Cavill estava ostentando um grande bigode para seu papel e estava impedido por contrato de tirá-lo. (Sim, os contratos de Hollywood preveem até isso). Apesar da boa disposição do diretor Christopher McQuarrie em criar um bigode virtual para o ator (com os custos pagos pela Warner, produtora de Liga da Justiça), os executivos da Paramount Pictures se recusaram veementemente a complicar a produção de Missão Impossível por isso e decidiram cumprir o contrato.

Isso obrigou à Warner a fazer o caminho inverso, mais complicado, de apagar digitalmente o bigode de Cavill para as refilmagens de Liga da Justiça. E para piorar, Joss Whedon decidiu refazer todas as cenas do Superman. A decisão suicida da Warner de não mudar a data de estreia da equipe da DC Comics, mesmo com as filmagens de Whedon terminando apenas dois meses antes da estreia, resultaram no Superman aparecendo com a boca deformada ao longo de todo o filme, num defeito simplesmente inacreditável, que dá a todo o filme um ar de inacabado que contribuiu sem dúvidas para seu fracasso completo. E num gesto que parece até ser de propósito, por ser tão estúpido, a ocasião em que a boca digital do ator está mais deformada é justamente a primeira cena do longa!

A horrenda boca virtual do Superman ao longo do filme inteiro, sem dúvidas, é uma mácula na carreira e na imagem de Henry Cavill e é compreensível que o ator tenha uma série de más sensações em relação a Liga da Justiça. Talvez, isso tenha a ver com seu não retorno presencial às (re)refilmagens e ao fato de que nunca se mostrou muito disponível a essa possibilidade, ao contrário de outros nomes do elenco, como Jason Mamoa (que curiosamente não está citado na reportagem do THR) ou Ben Affleck que chegou a dizer que faria isso até de graça.

Reforçando o distanciamento de Cavill do processo, em entrevista a GQ, Cavill disse:

Eles estão fazendo as coisas deles lá, reunindo o filme a partir das filmagens que eles fizeram.

Perguntado se estava em contato com Zack Snyder sobre o processo, ele disse:

Eu não tenho estado em contato com eles sobre isso.

O entrevistador depois questiona sobre o rumor que correu forte nas últimas semanas de que Cavill estaria assinando um novo contrato de três filmes com a Warner para voltar como o Superman em uma série de filmes, provavelmente, aparecendo como coadjuvante em longas como Shazam 2, Adão Negro 2 e, quem sabe, The Flash, abrindo caminho para um O Homem de Aço 2, que todo mundo sabe que Cavill realmente quer fazer.

Mas curiosamente, a resposta do ator foi:

Bem, eu acho que é importante que isto [a entrevista] deveria ser sobre Enola Holmes.

Algo que chamou a atenção da revista, que escreveu:

Note que isso não é um “não” e que Cavill esteve mais do que disposto a falar sobre temas como pintura de bonequinhos, computadores para videogame, The Witcher, fazer pães e a Snyder Cut de Liga da Justiça.

Tem algo aí…

Por fim, a GQ lembrou que Cavill foi um dos sérios candidatos ao papel de James Bond lá atrás, em 2004, quando a EON Productions escolheu Daniel Craig para estrelar 007 – Cassino Royale. A ideia então era promover uma versão mais jovem de 007 e o futuro Superman tinha apenas 22 anos e estava aparecendo em destaque em produções como o filme O Conde de Monte Cristo e a série de TV The Tudors. A revista pergunta se ele, hoje, ainda teria interesse em fazer o James Bond.

Se Barbara [Broccoli] e Mike [Michael G. Wilson; os dois irmãos proprietários da EON e responsáveis pela franquia de 007] estivessem interessados nisso, eu com certeza poderia aproveitar a oportunidade. Nesse estágio, está tudo no ar. Vamos ver o que acontece. Mas, sim, eu amaria interpretar Bond, isso seria muito, muito excitante.

Como o HQRock noticiou esses dias, Cavill é mesmo um dos nomes cotados nas casas de apostas de Londres como um forte candidato a ocupar a vaga de Daniel Craig, cujo último filme, 007 – Sem Tempo para Morrer, ainda está agendado para estrear em 12 de novembro próximo.

Cavill poderia entrar para a história como o único ator que interpretou Superman, Sherlock Holmes e James Bond.

Eu não reclamaria.