Apesar da comemoração dos fãs de que, finalmente, a Liga da Justiça de Zack Snyder será lançada ao público, no HBO Max em 2021, dividida em 4 partes de 1h cada; até hoje não estava certo se o longa receberia refilmagens, tendo em vista o custo disso. Mas ontem à noite veio a notícia (pelo The Hollywood Reporter) da confirmação que o elenco principal irá retornar aos estúdios para gravar durante uma semana no mês de outubro.

O THR diz que Ben Affleck, Gal Gadot, Henry Cavill, Ezra Miller e Ray Fisher irão se reunir para gravar as novas cenas.

O curioso é que a publicação não cita o nome de Jason Mamoa. Já a imprensa tratou o nome de Ray Fisher como surpresa, pelo fato do ator estar em uma campanha contra as refilmagens de 2017, por causa do comportamento que descreve como abusivo do diretor Joss Whedon (de Os Vingadores), que substituiu Snyder na versão que foi aos cinemas; comportamento que teria sido acobertado pelo produtor Jon Berg e pelo então presidente da DC Films Geoff Johns. A Warner contratou uma equipe de investigadores para o caso, mas Fisher pediu que a equipe fosse trocada.

Vai ver que o estúdio não quer polemizar mais ainda antes da situação ser esclarecida.

Reunir o elenco principal, mesmo que durante apenas uma semana, deve ter custado bastante, mas a Warner garantiu mais US$ 30 milhões para Snyder finalizar seu épico de 4 horas de duração.

[Atualização: o The Wrap garante que o custo adicional da Snyder Cut é de US$ 70 milhões! Muito mais do que os planos iniciais da Warner, que eram de apenas 10 milhões. Mas a pandemia, a paralisação de novas produções, a ausência de lançamentos no cinema e a possibilidade de atrair muitos novos assinantes para o HBO Max devem ter motivado esse movimento calculado, ainda que algo arriscado. Fim da Atualização].