Um curioso boato correu o mundo essa semana: o The Vulcan Reporter anunciou que o ator britânico Tom Hardy foi o escolhido para ser o novo James Bond dos cinemas. A notícia foi divulgada pelo Express e varreu a imprensa especulatória da Grã-Bretanha e do mundo. Mas isso é possível?

O relato afirma que a EON Productions, que comanda a franquia de 007 nos cinemas, teria aproveitado a pandemia e o longuíssimo adiamento do próximo filme – 007 – Sem Tempo para Morrer deveria ter estreado em abril deste ano, mas foi adiado para o novembro por causa da pandemia, e ainda se fala na possibilidade de outro adiamento para 2021 – para acelerar a escolha do substituto do ator Daniel Craig como protagonista da série de filmes e evitar, com isso, que o filme seguinte da franquia demore uns 5 anos para acontecer.

É uma lógica que faz todo sentido, por mais estranho que seja acelerar a substituição de Craig enquanto o último filme dele sequer estreou nos cinemas. O vazamento real de uma notícia com o novo ator a encarnar James Bond seria muito danoso em termos de marketing para Sem Tempo para Morrer. Mas quem sabe?

Isso significa que Tom Hardy é o novo 007?

Não parece. Em primeiro lugar, é preciso ressaltar que a notícia foi séria: o Reino Unido tem um sistema de apostas (que são legalizadas) que é muito forte e o nome do novo James Bond é um dos torneios mais concorridos; e após a notícia vinculada pelo Express, as casas de apostas encerraram o tópico; o que serve de indicativo de que há uma real possibilidade disto estar certo.

Contudo, a desconfiança reinava, pois não é a primeira vez que jornais ou tabloides britânicos cravam “com certeza” o nome do novo espião mais famoso à serviço de sua majestade. Em 2018, por exemplo, o HQRock até divulgou como o Daily Mail – um jornal relativamente respeitável – noticiou que Richard Madden (o Robb Stark de Games of Thrones) tinha assinado o contrato para ser o novo James Bond.

Existem diversos outros sérios concorrentes ao posto de novo 007, dentre ele, nomes como Henry Cavill (sim, o Superman), John Boyega (o Finn de Star Wars), Sam Heughan (de Outlander), Jack Lowden (de Dunkirk), Michael B. Jordan (de Creed e Pantera Negra), além do já citado Richard Madden e os velhos favoritos Tom Hiddleston e Idris Elba. Esses nomes – e outros – fazem parte de um levantamento da Esquire sobre as possibilidades. E a revista ainda nega o contrato de Tom Hardy.

Isso não quer dizer que Hardy não está no páreo para ganhar o papel e se a máxima de “onde há fumaça, há fogo”, é provável que a EON esteja mesmo mexendo seus pauzinhos para já acelerar a escolha do novo 007 para que o 26º filme da série chegue aos cinemas pelo menos em 2023 e não somente em 2026 ou depois.

Inaugurada em 1962, a franquia de 007 já lançou 24 filmes com seis atores diferentes. O James Bond atual, Daniel Craig, estreou no papel em 2006 em 007 – Cassino Royale, e 007 – Sem Tempo para Morrer será seu quarto e último filme.

007 – No Time to Die é dirigido por Cary Fukunaga, e foi escrito por ele, Scott Z. Burns (O Ultimato Bourne) e Phoebe Waller-Bridge (Fleabag) e tinha estreia marcada para 02 de abril de 2020 até ser adiado por causa da pandemia mundial do novo coronavírus. A nova data oficial ainda é 12 de novembro próximo.