Embora provavelmente já cumprido seu pico, a versão remixada (e com bônus) de Let it Be dos Beatles continua a trazer novos marcos de sucesso ao quarteto de Liverpool. O disco originalmente lançado em 1970 chegou ao Número 1 da parada de álbuns de rock da revista americana Billboard (a parada oficial dos EUA), além de outras posições de destaque em outras listas.

Em vista da diversidade e complexidade do mercado de música nos dias de hoje – que incluem vendas físicas de discos, streamings, downloads pagos e execuções em plataformas como o YouTube – a Billboard hoje dispõe de várias listas de “mais vendidos” diferentes, organizadas por categorias. A lista geral de álbuns, que contabiliza os maiores sucessos em discos completos (e contando todas as formas de consumo) é a Billboard 200, que reúne, como o nome diz, os 200 álbuns mais vendidos dos EUA em cada semana. Na primeira semana de dezembro, Let it Be dos Beatles ficou na 6ª posição da Billboard 200, caindo uma posição após ter ficado em 5º lugar na semana anterior.

Na parada Top Album Sales (que conta apenas as vendas de discos e não outras formas de consumo), Let it Be chegou também ao 6º lugar!

Mas quando estratificamos o ranking apenas por álbuns de rock (e todo o tipo de consumo), daí vem a Top Rock Albuns, os Beatles ficaram em 1º lugar, na semana de 9 de dezembro. Como informa a UDiscoverMusic, é a quinta vez que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr chegam ao topo dessa parada específica, vindo anteriormente com os álbuns Love (2007), On Air: Live at BBC (2009), Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band (2017) e Abbey Road (2019), sendo estes dois últimos parte da mesma coleção de relançamentos com remixagens e faixas bônus dos quais Let it Be faz parte.

E a Top Rock Albuns ainda traz outro álbum dos Beatles no Top10: Abbey Road aparece na 3ª posição! Seguem-se ainda a coletânea 1 (com as canções da banda que chegaram ao topo das paradas na época de seus lançamentos originais nos anos 1960) no 26º lugar e The Beatles (o The White Album) em 45º lugar.

E a banda também está se destacando nas canções, ou seja, nas paradas de singles. Embora não apareça na Billboard 100, canções do Let it Be aparecem na Hot Rock & Alternative Songs parada que, como o nome diz, é dedicada ao rock e ao gênero alternativo. Ali, a canção Let it be aparece no número 16 e Get back no 23º lugar. E na Rock Digital Sales (que contabiliza apenas vendas digitais) ambas as faixas aparecem também, embora invertidas: Get back em 11º e Let it be em 13º lugar. E não só isso: nas vendas digitais outro par de canções aparece em destaque, com Two of us em 20º lugar (ou seja, a banda com 3 canções no Top20) e Don’t let me down em 22º.

Os Beatles também aparecem nas paradas britânicas, sua terra natal: Let it Be aparece em 22º lugar do Top100 da UK Official Charts pela segunda semana consecutiva, quando contabilizados todos os consumos; e em 20º lugar considerando apenas as vendas.

Let it Be foi o último álbum lançado pelos Beatles, em 1970, chegando às lojas após o anúncio da separação da banda. Suas gravações foram um dos períodos mais controversos da carreira do grupo, realizadas em janeiro de 1969 para um projeto ambicioso de realizar um show ao vivo com músicas inéditas e filmar tudo; planos que não se concretizaram, mas cujo material gravado foi lançado no disco e no documentário homônimo. Agora, além da nova versão de Let it Be (com remixagens e três CDs de faixas bônus tiradas das sessões), também está disponível a série documental The Beatles: Get Back, dirigida por Peter Jackson (de O Senhor dos Anéis), que detalha os eventos de janeiro de 1969, em uma série em 3 capítulos e quase 8 horas de duração, disponível no Disney+.