São eventos como esse que comprovam porque a discussão sobre o racismo é tão importante. Esta semana foi revelado pelo site TMZ que o diretor de Pantera Negra, Ryan Coogler, foi preso ao tentar sacar dinheiro de sua própria conta. Jovem e negro, o diretor causou “desconfiança” na caixa que o atendeu, que chamou a polícia e prendeu o cineasta na boca do caixa, levando-o algemado para a viatura, enquanto dois membros de sua equipe, que aguardavam em um SUV no estacionamento do Bank of America, também foram detidos.

Ryan Coogler dirige Chadwick Boseman em Pantera Negra.

O caso ocorreu em janeiro deste ano quando Coogler estava na cidade de Atlanta, na Georgia, gravando a sequência de seu maior sucesso: Pantera Negra – Wakanda Para Sempre, e só veio à tona agora, com o TMZ divulgando imagens do ocorrido gravados pelos próprios policiais. (A polícia dos EUA grava as próprias ações para controle e averiguação). Com a divulgação, Coogler se manifestou em nota oficial afirmando que foi um incidente infeliz, mas que o Bank of America trabalhou com ele depois disso e que tudo foi resolvido.

Mas não deixa de ser uma lástima e uma demonstração de como o racismo permeia a sociedade norteamericana.

Imagens gravadas pela própria polícia no momento da prisão.

Segundo os relatos, Coogler chegou ao banco normalmente – usando uma máscara facial por causa da pandemia (como todos os outros clientes) – e, no caixa, entregou uma nota escrita pedindo para sacar 12 mil dólares de sua conta e que, como queria ser discreto, pedia que o dinheiro fosse contado em outro lugar e não ali na boca do caixa. Ele entregou seu cartão do banco para o saque e sua carteira de identidade; mas a caixa do banco – que aparentemente era uma jovem também negra e gestante – ficou desconfiada e chamou a polícia. Num comunicado, a gerente do banco (que também é negra) disse que a caixa era inexperiente e lamentou o ocorrido, mas o fato é que a polícia foi lá rapidamente e, sem conferir a história ou checar os documentos de Coogler, preferiu o algemar na boca do caixa e levá-lo preso até a viatura.

Coogler tem 35 anos e uma carreira de diretor de sucesso, com filmes aclamados por público e crítica, como A Última Parada, Creed e Pantera Negra. No longa do herói da Marvel, inclusive, além do enorme impacto cultural e político que causou ao ser lançado, também gerou mais aclamação: sendo indicado a 7 Oscars e ganhando três deles, por Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora, sendo, portanto, o filme de super-heróis mais bem premiado da história da Academia de Artes e Ciência de Hollywood.

Mas ser negro e jovem parece ser proibitivo e suspeito, ainda mais quando se quer sacar uma quantia relativamente generosa num banco. Uma lástima!

Só podemos esperar que esse evento faça as pessoas refletirem sobre as injustiças e o racismo e que o Bank of America tenha aprendido alguma lição. Ao Brasil também fica um recado, pois tal qual os gringos, também temos a cultura do racismo impregnada em nossas mentes e instituições.