Uma das estrelas da série Smallville, a atriz Allison Mack, foi presa por ser uma das líderes da NXivm, uma seita de escravas sexuais do guru filosófico Keith Raniere, numa notícia que chocou o mundo do entretenimento. O elenco da série, que mostrava as aventuras do jovem Clark Kent antes de se tornar o Superman, sempre foi discreto em declarações sobre o ocorrido, e Erica Durance, que interpretava Lois Lane, nunca havia falado sobre o tema. Até agora.

Lois (Durance) e Chloe (Mack), como as primas em Smallville.

Participando do podcast Inside of You de Michael Rosenbaum, que por sua vez, fazia o Lex Luthor da série, Durance se abriu sobre a questão e revelou que chegou a ser recrutada por Mack a fazer parte da seita, que atuava disfarçada sob uma organização de autoajuda.

Durance falou longamente sobre o tema, destrinchando, também pela primeira vez, a relação entre as duas atrizes nos sets de filmagem, que parece, não eram muito boas.

Eu disse que a ideia de compartilhar todos os meus segredos pessoais me trouxe uma reação visceral. Ela não trouxe isso até bem tarde durante as temporadas.

No NXivm, cada escrava tinha uma mestra para quem revelava os seus piores segredos, informação que depois era usada para chantagear a escrava a não sair do esquema. A escrava era obrigada a relatar tudo o que acontecia em seu dia e pedir autorização à mestre para até as mínimas coisas, e mantinham uma dieta controladíssima para que perdessem peso, culminando nelas sendo marcadas em ferro em brasa com um símbolo que, na verdade, eram as iniciais de Mack e Raniere. Depois disso, as escravas eram obrigadas a manter relações sexuais com os dois e entre as outras escravas. Mas isso era o nível avançado, pois para chegar a isso, as futuras escravas eram enganadas para ingressar em uma organização de empoderamento feminino, que disfarçadamente realizava uma série de táticas de lavagem cerebral.

Chloe Sullivan foi criada para “Smallville”.

Não é tão claro como ocorria o recrutamento das garotas, mas Mack era a líder do processo e sua principal missão era engajar atrizes de Hollywood ao grupo. Mas pelo relato de Durance, parece que Mack chegou a lhe falar do lance da revelação dos segredos, que era o primeiro estágio da submissão da escrava. Contudo, além da repulsa da colega, o convite também não surtiu efeito visto que a relação das duas não era boa.

Durance continua seu relato:

Tínhamos uma relação interessante, eu e Allison. Acho que ela sentiu que queria gostar de mim. Acho que ela queria que as pessoas vissem que ela queria gostar de mim, mas não acho que me ter ali [na série] fosse algo ótimo para ela. Talvez isso tenha chegado a ela como ela sendo ameaçada, mas descobri que havia muitas pequenas idiossincrasias que aconteceriam.

Mack era coprotagonista de Smallville desde a 1ª temporada, em 2001, atrás apenas de Tom Welling (o jovem Clark Kent) e Rosenbaum (seu amigo e futuro arqui-inimigo). A personagem de Mack era Chloe Sullivan (criada especialmente para a série), colega de classe de Clark, que nutria uma paixonite pelo amigo, mas ao mesmo tempo, servia como sua “escudeira” nas aventuras, bem como uma repórter-mirim do jornal da escola, investida de real senso investigativo, o que, no contexto da história, serviu para imbuir o próprio futuro Superman do mesmo sentimento. Todos sabem, né? Clark se torna repórter do Planeta Diário na vida adulta, algo que acontecia na série também, em suas últimas temporadas.

Lois no Planeta Diário de Smallville.

Mas o ingresso de Lois Lane na 4ª temporada (introduzida como uma prima de Chloe) significava uma progressiva migração das funções da personagem de Mack para a de Durance e a primeira parece ter sentido a concorrência. Afinal, o primeiro amor de Clark no seriado, Lana Lang (vivida por Kristin Kreuk) não atuava na ação ou no mistério das tramas, como faziam Chloe e, mais tarde, Lois.

Durance não dá tantos detalhes do que realmente acontecia fora das câmeras, mas dá a entender que Mack tinha uma postura hostil em relação a ela:

Eu ia embora e ficava, tipo: “Acho que nos demos bem hoje”. Então, eu ia para casa e dizia: “Bem, aquilo foi cruel”. Ninguém jamais veria isso. Tinha toda uma série daquelas “coisinhas” que iam acontecendo… Acho que ela gostava de estar naquela posição de conhecimento e querer recrutar. Eu acho que ela realmente acreditava nisso, mas eu realmente não confiava na motivação dela quando se tratava de mim.

Contudo, sabemos que Mack foi melhor sucedida com outra colega sua de elenco: Kristin Kreuk, que ingressou na organização da fachada de empoderamento feminino e chegou a ser uma participante destacada até que saiu por motivos desconhecidos. Kreuk nunca falou abertamente sobre o fato, apenas quando seu nome foi mencionado na imprensa no início do escândalo, afirmando que participou de eventos de autoajuda para ajudar outras mulheres e que nunca fez parte da seita sexual.

Lana e Chloe.

Ainda teremos que descobrir o que se passou no caso de Kreuk, mas é bem provável que ela tenha se desligado da organização quando percebeu o que estava atrás dela. O documentário The Vow sobre o NXivm, narrado pelas vítimas da seita, reforça que a interprete de Lana Lang nunca chegou ao nível das escravas, mas mostra que sua saída causou um grande impacto na organização interna do grupo.

O documentário também mostra que a organização perseguia implacavelmente aqueles que se desligavam do ciclo interno, por meio de chantagem, do espalhamento de fake news, manobras financeiras e processos judiciais, tudo financiado pela seita, que contava com grupos milionários em seu apoio e direção.

É de se pensar se a saída de Kreuk da série, na 8ª temporada, em 2008, está relacionada a isso, como a não querer ficar próxima de Mack, que persistiu como parte do elenco fixo até o fim da 9ª temporada, em 2010, embora tenha voltado em episódios especiais e no series finale, em 2011, ao contrário de Kreuk. Ou talvez, simplesmente, Lana ficou sem função na série, subjugada em importância por Chloe e Lois. Ademais, sua saída seguia o cânone dos quadrinhos, que mostrava que Lana se afasta de Clark após saber de seus poderes (por achar que ela impedia Clark de atingir todo o seu potencial), com os dois se reencontrando no futuro e permanecendo como bons amigos.

Após o fim de Smallville, Durance seguiu a carreira e protagonizou a série Saving Hope, além de ter aparecido como Alura Zor-El em Supergirl.

Tom Welling e Michael Rosenbaum desenvolvem o projeto de uma série de animação que continuaria a história de Smallville, que termina quando Clark Kent se torna o Superman. A ideia é apoiada pelos criadores do programa e a ideia é trazer de volta o elenco original para fazer a dublagem de seus personagens, incluindo Durance.