A Marvel Entertainment assinou um contrato com a Stan Lee Universe para continuar a usar a imagem de Stan Lee em seus produtos, incluindo o Marvel Studios. O acordo tem duração de 20 anos e habilita a empresa a usar o nome, a imagem e a voz do carismático escritor e editor-chefe da Marvel Comics em sua fase clássica. Também possibilita tê-lo em filmes, produtos para a TV, parques temáticos da Disney, merchandising e o que é descrito como “novas aventuras”.

A Stan Lee Universe é uma nova empresa criada a partir da fusão da Genius Brand International e a Pow! Entertainment, empresas que cuidam do legado do artista após sua morte. A Genius tem como CEO Andy Hayward e é uma empresa global de mídia para crianças e adquiriu a Pow em julho de 2020, uma empresa fundada anos antes por Lee e Gill Champion. Hayward disse ao THR que a aquisição da Pow! foi feita para preservar o legado de Lee em vista das denúncias de abuso que o artista sofreu em seus últimos anos de vida, explorado por empresários, aproveitadores e, aparentemente, pela própria filha. O executivo diz que Lee foi seu mentor na área de entretenimento.

Não é claro se a Marvel realmente intenciona usar recriações de Stan Lee em seus filmes – o escritor ficou mundialmente famoso justamente por meio de suas pontas engraçadas nos filmes do Marvel Studios – mas com o acordo, a Marvel poderá fazê-lo se o assim quiser. É mais provável que a Casa de Ideias simplesmente queira continuar a ter a imagem do velhinho sorridente relacionada aos seus produtos e deve usar Lee de modo mais direto nos parques da Disney, que não custa lembrar, é a empresa-mãe da Marvel, bem como no lucrativo ramo de bonecos e brinquedos.

Não foram revelados valores do acordo.

Um Stan Lee bem jovem em começo de carreira.

Stan Lee nasceu em 1922 e começou a trabalhar na Marvel Comics como office boy aos 17 anos de idade, em 1939. A empresa pertencia a Martin Goodman, que se casara com uma prima do rapaz e foi um favor familiar para lhe dar uma ocupação estável nos difíceis anos pré-guerra nos EUA. Quando o editor-chefe da editora foi demitido por trabalhar secretamente para outras editoras, em 1942, Goodman colocou Lee, aos 19 anos, no posto de editor-chefe como medida temporária enquanto encontrava alguém “mais experiente”. Contudo, à exceção do par de anos em que foi convocado para a II Guerra Mundial, Lee continuou no cargo por 30 anos até 1972.

Stan Lee e Jack Kirby em 1965: principais arquitetos do Universo Marvel.

Quando, no fim dos anos 1950, Lee passou a acumular os cargos de editor-chefe e principal escritor da casa, ele criou o chamado “Método Marvel de criar quadrinhos”, na qual escrevia uma sinopse curta com o resumo da trama e passava ao desenhista para que este desenvolvesse aquelas ideias e criasse a história como uma narrativa visual, ao qual ele acrescentava ao final a narração e os diálogos. A técnica encontrou eco em desenhistas capazes de narrar uma boa história, como Jack Kirby, Steve Ditko e Don Heck, com os quais Lee criou as bases do Universo Marvel a partir de 1961: Quarteto Fantástico, Thor, Hulk, Homem-Aranha, Homem-Formiga, Vespa, Homem de Ferro, Doutor Estranho, Vingadores, X-Men, Demolidor, Inumanos, Pantera Negra e muitos outros; além de modernizar alguns personagens mais antigos, como o Capitão América (criado por Jack Kirby e Joe Simon em 1941), Tocha Humana (criado por Carl Burgos, em 1939) e Namor, o príncipe submarino (criado por Bill Everett em 1939).

O Universo Marvel casou um impacto enorme na cultura pop dos anos 1960, pois seus quadrinhos diferenciavam da Distinta Concorrente (que eram infantis e inócuos), e abordavam problemas da vida real, traziam reflexões sobre questões contemporâneas e um estilo muito peculiar de narrativa frenética, divertida e dramática, mas ao mesmo tempo, muito humana.

O Stan Lee superstar de 1968.

Lee abandonou a escrita sistemática em 1972, quando foi promovido a publisher e vice-presidente da Marvel, passando a se dedicar mais a ser o rosto público da empresa. Depois de se aposentar, Lee continuou exercendo um cargo consultivo na Marvel e ganhou a ribalta de Hollywood a partir do momento em que seus personagens começaram a ganhar adaptações em filmes de grande orçamento nos anos 2000, nos quais sempre aparecia em pequenas participações especiais em cenas cômicas, algo que se manteve em todos os estúdios que usaram aqueles filmes, como Sony Pictures, Universal, Fox e, claro, o Marvel Studios – que levou essa arte a outro patamar.

Já sofrendo constantes problemas de saúde, Stan Lee morreu em 12 de novembro de 2018, aos 95 anos.

Conheça as Melhores Histórias de Stan Lee neste especial do HQRock.