A banda britânica de rock Pink Floyd ganhou uma incrível homenagem esta semana, noticiou a Newsweek: o mais antigo fóssil humano da Europa foi batizado de Pink em sua memória.

O fóssil ancestral da humanidade data de 1,4 milhões de anos atrás e foi descoberto no norte da Espanha, nas Montanhas da Atapuerca, na localidade de Sima del Elefante, pela equipe de arqueólogos liderada por Juan Luis Arsuaga, Eudald Carbonell e Jose Maria Bermudez Castro, financiados pela Fundacion Atapuerca. O fóssil consiste em um fragmento da mandíbula, contendo a ponta do nariz e parte da estrutura que forma os dentes e a língua.

O fragmento do homídio está relativamente bem preservado e não foi classificado ainda quanto à sua espécie, apenas datado, o que lhe aponta como o mais antigo ancestral humano já descoberto no continente europeu.

As teorias científicas apontam, com os dados disponíveis hoje, que a raça humana surgiu no continente africano, aproximadamente há 200 mil anos, e, em seguida, migrou para o restante do globo, povoando-o; mas antes mesmo disso, os antigos ancestrais humanos já cruzaram a Península do Sinai e chegaram pelo menos à Ásia e à Europa. A Europa, aparentemente, só foi ocupada depois da Ásia e o fóssil de Atapuerca é o mais antigo já encontrado no continente, com 1,4 milhões de anos de idade.

Os fluxos migratórios dos homídeos para a Europa continuaram nos milhares de anos seguintes. Inclusive, o mesmo sítio arqueológico de Sima del Elefante já haviam revelado, em 1994, uma coleção de fósseis do Homo sapiens antecessor, um dos nossos ancestrais diretos e “elo perdido” entre a raça humana e nossos primos mais próximos, o Homo neandertalensis, os neandertais, com quem convivemos por algumas dezenas de milhares de anos (inclusive, na Europa) antes que eles fossem extintos e só restássemos nós como representantes do gênero homo.

O Pink Floyd no início dos anos 1970.

Não foi revelado porque os pesquisadores decidiram batizar o fóssil de Pink em homenagem ao Pink Floyd, mas existe uma tradição de batizar com nomes humanos os fósseis mais importantes e alguns deles têm o rock como origem. O caso mais famoso foi quando pesquisadores descobriram o fóssil do Australapithecus afarensis, um de nossos mais antigos ancestrais, que viveu a cerca de 4 milhões de anos, na Etiópia. Como era um esqueleto quase completo de uma fêmea e tocava a canção Lucy in the sky with diamonds dos Beatles quando a descoberta foi feita, os pesquisadores a batizaram de Lucy. Por inspiração em Lucy, um fóssil feminino de 11 mil anos descoberto em Minas Gerais, no Brasil, foi batizado de Luzia e estava exposto no Museu Nacional até a instituição ser destruída em um incêndio, em 2018.

O Pink Floyd surgiu na cidade de Londres, em 1965 e gravou seu primeiro disco em 1967, se tornando um expoente da cena psicodélica e heróis do circuito underground do rock por muitos anos, até que o estrondoso sucesso do álbum Darkside of the Moon, de 1973, os transformou em uma das bandas de maior sucesso na história do rock. O grupo encerrou as atividades oficialmente em 1996, mas seus membros remanescentes – como Roger Waters e David Gilmour – continuam ativos e são importantes nomes do rock clássico ainda em atividade e com trabalhos relevantes.