O Pink Floyd nos anos 1970: auge criativo e comercial da banda.

Na próxima semana inicia-se a leva de relançamentos de toda a discografia do Pink Floyd, banda britânica de rock progressivo que é uma das mais importantes e de maior sucesso na história do rock em geral. Seus álbuns serão remasterizados, ganharão extras e bônus, além de vídeos (artigo raro em se tratando do grupo) e arquivos digitais, bem como haverá um Box-Set reunido este material e uma coletânea chamada A Foot in the Door: The Best of Pink Floyd. O HQRock publicou um post detalhado sobre o lançamento, veja aqui.

Imagem de divulgação da nova coleção da banda.

Para comemorar o evento, a banda será o tema do famoso talk show chamado Late Night with Jimmy Fallon durante toda a semana. Além das presenças do baterista Nick Mason na segunda-feira e do baixista e principal compositor Roger Waters na terça, para entrevistas, várias bandas e artistas famosos interpretarão sucessos do Pink Floyd no palco do programa.

A programação de convidados é a seguinte: segunda-feira, The Shins tocando Breathe (canção do álbum Darkside of the Moon, de 1973); terça, Foo Fighters e Roger Waters se unem pela primeira vez para tocar In the Flesh (de The Wall, de 1979); na quarta, MGMT toca Lucifer Sam (de The Piper at the Gates of Dawn, de 1967, o disco de estreia da banda); quinta teremos Dierks Bentley tocando Wish you were here (uma das canções mais famosas e faixa-título do álbum de 1975); e na sexta, a programação encerra com Pearl Jam tocando Mother (outra canção de The Wall).

A formação orginal da banda em 1966, com Syd Barrett (esq.).

O Pink Floyd foi fundado por Roger Waters e o guitarrista, vocaliste e compositor Syd Barrett em 1965 e consolidou sua formação em seguida com as adesões de Manson e de Richard Wright nos teclados. O grupo fez sucesso já no ano seguinte no circuito alternativo de boates de Londres e assinou um contrato com a poderosa EMI. Sua estreia fonográfica se deu em 1967 com dois singles: Arnold Layne e See Emily play, que garantiram espaço à banda nas paradas de sucesso. O álbum The Piper at the Gates of Dawn consolidou o Pink Floyd como uma das mais importantes bandas do movimento psicodélico da Inglaterra e é um clássico absoluto do rock, trazendo a visão singular de Syd Barrett. O compositor, contudo, teve sérios problemas devido ao abuso de drogas alucinógenas e uma pretensa esquisofrenia, o que o levou a ser expulso da banda durante as gravações do segundo álbum, A Saucerful of Secrets. Este disco chegou às lojas já trazendo o substituto de Barrett: o guitarrista e vocalista David Gilmour, embora algumas faixas tragam até a banda como um quinteto.

A partir de então, inicia-se a trajetória da chamada “formação clássica” do Pink Floyd – Waters, Gilmour, Wright e Mason – que partiu do circuito alternativo de Londres para se tornar uma das bandas mais famosas do mundo depois do lançamento de Darkside of the Moon em 1973. A sequência de álbuns e turnês de sucesso se manteve durante todo o restante da década, culminando com o lançamento de The Wall em 1979. Mas os conflitos internos estavam muito agravados e Richard Wright chegou a ser expulso do grupo.

Em 1985, Roger Waters decidiu encerrar a banda, mas Gilmour e Mason entraram na Justiça pelo direito de continuarem a usar o nome Pink Floyd independentes de Waters. A dupla ganhou a causa e, trazendo Wright de volta, lançou A Momentary Lapse of Reason, em 1987, que fez um sucesso enorme e rendeu uma turnê mundial gigantesca. Mas o grupo lançou apenas um outro álbum depois disso, The Division Bell, de 1994, encerrando as atividades dois anos depois, após outra turnê mundial.

David Gilmour e Roger Waters unidos em 2010. Ocasião rara.

Desde então, só muito raramente Gilmour, Wright e Mason se reuniram, mas houve uma história apresentação do trio com Roger Waters em 2005 por ocasião do Live 8, concerto beneficente contra a reunião do G8 e a favor do perdão à dívida externa dos países africanos. Infelizmente, em 2006, Syd Barrett morreu de diabetes após décadas vivendo recluso; e Wright também faleceu, vítima de câncer, em 2008, impossibilitando outra reunião da “formação clássica”.

Atualmente, Gilmour e Waters investem em suas carreiras individuais, mas sempre tocam as canções do Pink Floyd em seus shows. Inclusive, Waters está em turnê mundial – que passará pelo Brasil em março de 2012 – executando o álbum The Wall na íntegra. Inclusive, a abertura dessa turnê, em Londres, trouxe a reunião de Gilmour, Mason e Waters em duas canções.

Para detalhes sobre a discografia da banda, leia o post do HQRock sobre o assunto aqui.