Nova capa de "O Cavaleiro das Trevas".

A editora Panini Comics, que republica o material da DC Comics no Brasil, está relançando a clássica minissérie Batman: O Cavaleiro das Trevas (sem nenhuma relação ao filme homônimo, pois o título original em inglês da revista é Batman: The Dark Knight Returns), escrita e desenhada por Frank Miller em 1986.

Unanimidade entre público e crítica, O Cavaleiro das Trevas é não somente uma das melhores histórias do Batman já escritas, como é também uma das maiores histórias em quadrinhos de todos os tempos e gêneros e um dos marcos fundadores da Era Sombria dos quadrinhos, quando a temática adulta, violenta e sombria passou a dominar o mercado. Aliás, por viver um período editorial muito bom, o Batman é recheado de grandes histórias naquele mesmo período do fim dos anos 1980. (Para conhecer uma seleção das melhores histórias do Batman, leia o post do HQRock sobre o assunto aqui).

A trama é a seguinte:

Em um futuro distópico, Bruce Wayne tem 50 anos de idade a há uma década deixou de ser o Batman (fica implícito que o motivo teria sido a morte do Robin II, Jason Todd). Mas a violência crescente em Gotham City faz o empresário envelhecido reconsiderar a sua aposentadoria e voltar-se com ainda mais violência contra o novo crime. Em paralelo, Miller faz uma crítica ácida aos anos 1980, particularmente à política conservadora e algo fascista de Ronald Reagan, o presidente dos EUA na época.

No Brasil, a saga foi publicada diversas vezes em vários formatos. A Panini havia publicado a “versão definitiva” da minissérie em quatro capítulos em 2006, mas esta versão já está esgotada há algum tempo. Esta nova edição reproduz o mesmo material, só que agora somente com a capa dura (antes, tinha uma opção com capa cartonada) e outra ilustração na capa.

A nova edição de Cavaleiro das Trevas tem 516 páginas e um preço sugerido de R$ 90,00, com distribuição nas livrarias. O único “porém” da caprichada edição é que, além da história original de 1986, traz a sequência TDK2 (ou O Cavaleiro das Trevas 2) em três partes publicada por Miller em 2002, cuja única função é fazer um deserviço ao material original. Enquanto a primeira é um clássico absoluto, sua sequência de 2002 é uma das piores histórias já escritas sobre o homem-morcego. Pelo menos ilustra como um autor genial como Frank Miller – que também escreveu Batman: Ano Um, a história que está sendo lançada agora como longametragem animado; e outras obras aclamadas, como Sin City e 300) – pode envelhecer e se transformar em uma pálida sombra de si mesmo.