Há dois dias, o diretor Bryan Singer foi afastado do comando de Bohemian Rhapsody, a cinebiografia do cantor Freddie Mercury e da banda Queen. O estúdio alegou diferenças criativas e vários conflitos do diretor com o protagonista Rami Malik, além de ter abandonado as filmagens desde o Feriado de Ação de Graças; enquanto Singer minimizou as diferenças e justificou as faltas por causa saúde delicada de seu pai, que mora nos EUA e gravações são na Inglaterra. Agora parece ter vindo à tona o verdadeiro motivo: segundo o jornalista da Variety, Justin Kroll, Singer está sendo acusado de abuso sexual de um rapaz de 17 anos!

Esta é a quarta vez que Bryan Singer é processado pelo mesmo crime. A mais recente havia sido em 2016, quando o diretor estava prestes a lançar X-Men – Apocalipse pela mesma Fox. Como resultado, o estúdio afastou Singer da pós produção e seu papel foi ocupado pelo roteirista e produtor Simon Kingberg na campanha de divulgação do filme.

Quase de imediato, foi anunciado que Singer não faria mais o próximo filme dos mutantes e Kinsberg assumiu seu lugar em X-Men- Fênix Negra.

A acusação atual diz que Singer coagiu um rapaz chamado Cesar, de 17 anos, em 2003, em meio a uma festa em que teria prometido arranjar um papel para ele em Hollywood. Depois, teria ameaçado destruir a reputação do jovem caso falasse sobre o assunto em público.

As três acusações anteriores contra Singer tinham conteúdo semelhante, mas não foram a julgamento por falta de provas. Agora, no contexto de levante de Hollywood contra o abuso sexual, a coisa pode mudar de figura.