X-Men – Fênix Negra parece trazer uma série de mudanças na franquia dos mutantes. Além de envolver os mutantes com alienígenas (embora não os S’hiar dos quadrinhos, mas os Skrulls), a revista Entertainment Weekly revelou que haverá a estreia de Genosha, a ilha que é uma nação autônoma simpática aos mutantes).

Na reportagem, a atriz Sophie Turner falou sobre como estará Jean Grey no filme:

Confusa com alguns acontecimentos, Jean busca ajuda de Magneto, que se afastou dos X-Men e agora vive em uma ilha chamada Genosha, local que criou para mutantes que não tem mais para onde ir. Todos trabalham em prol da comunidade. É um lugar seguro para todos, onde são aceitos sem julgamentos.

A fala também explica qual será o papel de Magneto no filme, finalmente emergindo como uma liderança mutante alternativa a Xavier e os X-Men.

A EW também trouxe um importante comentário do diretor Simon Kinberg, que faz sua estreia atrás das câmeras após ser produtor e roteirista dos últimos quatro filmes da franquia. A revista perguntou sobre a má recepção de X-Men – Apocalipse, lançado em 2016 e que arrecadou US$ 500 milhões, 200 a menos do que seu antecessor, o aclamado X-Men – Dias de um Futuro Esquecido; além de Apocalipse ter sido muito criticado por sua história fraca.

Sincero, Kinberg falou que o erro de Apocalipse foi apostar na destruição global em massa e deixar de lado os personagens. De fato, isso condiz com a crítica que fizemos na época do lançamento.

Com Skrulls e Genosha, os X-Men parecem começar a construir uma nova fase e um novo direcionamento. Se esse caminho vai se completar no futuro, ninguém sabe, pois com a venda da Fox para a Disney, o passo natural é unificar o universo dos mutantes com os Vingadores, algo que vai requerer um Reboot completo da franquia.