avengers-and-x-men-movie-crossover.jpgOs fãs da Marvel Comics há muito anseiam pela possibilidade de ver os Vingadores em ação ao lado dos X-Men e do Quarteto Fantástico nos cinemas, e esse sonho está próximo de se tornar realidade com a compra da 21th Century Fox (dona dos X-Men e Quarteto Fantástico nos cinemas) pela The Walt Disney Company (dona do Marvel Studios, que produz a franquia dos Vingadores). Ou nem tanto… Segundo a CNBC, a Comcast fez uma contraproposta matadora para arrematar a Fox e tomá-la das mãos da Disney.

O mundo corporativo é complexo e movido a dinheiro. Muito dinheiro! A venda de uma megacorporação como a Fox atraí muitos interessados. Quando anunciou-se a venda, a Disney emergiu com uma proposta que parecia irrecusável: US$ 52,4 bilhões pelo pacote inteiro, que além da 20th Century Fox (o braço do cinema que inclui os X-Men) traz várias empresas como canais de TV (FX, Fox News, que detêm programas como Os Simpsons, Família da Pesada e Modern Family), o conglomerado da National Geography (que inclui revistas impressas e eletrônicas, e vários canais de TV fechada), a India TV (uma das maiores da Ásia), parte do satélite britânico da Sky (que transmite para grande parte do mundo) e 1/3 do canal Hulu.

Avengers-vs-X-Men-1-Preview-com-texto_f01
Wolverine vs. Capitão América.

Outras empresas se interessaram pela Fox, incluindo a Sony (dona da Sony Pictures e da Columbia Pictures, proprietária do Homem-Aranha no cinema) e a Comcast, que é parceira da Fox em vários empreendimentos pelo mundo. E aí está a questão! Teoricamente, a Comcast não poderia comprar a Fox por causa das leis Anti-Truste dos Estados Unidos, que controlam casos de monopólio. A Comcast já tinha manifestado em fevereiro o interesse na compra (o HQRock noticiou aqui, leia!), inclusive, com um valor não revelado, mas que seria maior do que a proposta da Marvel. Porém, na época, os acionistas da Fox – representados pelo poderosíssimo Rupert Murdock – pensaram que o acordo com a Disney era mais certo e não correria o risco de, literalmente, não dar em nada, pois o Governo dos EUA poderia simplesmente proibir a fusão Fox-Comcast.

Mas há outras peças em jogo: o HQRock também anunciou há algum tempo, que a Time-Warner (corporação que engloba os estúdios Warner Bros., a DC Comics e canais de TV como The CW, HBO TNT e Cartoon Network) estava sendo adquirida pela AT&T ao valor de US$ 85 bilhões! A aquisição foi anunciada em outubro de 2016 a até hoje o processo não encerrou, justamente porque o Governo dos EUA está submetendo a transação a uma série de concessões por causa da Lei Anti-Truste.

Acontece que se o Governo dos EUA libera a fusão AT&T-Warner, abre o precedente para a Comcast comprar a Fox e é nisto que aquela empresa está apostando. De acordo com a NCBC, a Comcast teria colocado na mesa uma oferta de US$ 60 bilhões (portanto, maior do que a da Disney) totalmente em dinheiro (!!!) pela Fox. E mais: se a Fox aceitar a negociação do satélite da Sky para que a Comcast fique com 100% deste, ainda aumenta a oferta para 100 bilhões!!!!

Seria a maior transição comercial da história!

Agora, é esperar a ação dos dois fatores da questão: 1) os EUA permitirem a fusão Warner-AT&T; 2) a Fox aceitar a oferta da Comcast e dispensar a Disney.

Vale lembrar, que o processo de fusão Disney-Fox já está acontecendo, mas só irá se completar no fim de 2019, dada sua complexidade.

Caso nada mude…

Fã da Marvel, cruze os dedos!