Em um painel da San Diego Comic Con, a DC Comics anunciou que vai lançar a HQ Batman: Silêncio como um longametragem em desenho animado em 2019, bem como outras três produções do tipo. Silêncio é um marco nas histórias do cavaleiro das trevas em tempos recentes.

Na trama de Silêncio, Batman é sumariamente atacado por um novo vilão com aquele nome que articula os mais importantes inimigos do cavaleiro das trevas em um plano para humilhá-lo. A natureza pessoal dos ataques faz Batman desconfiar que Silêncio sabe sua identidade secreta e isso vai tornando Bruce Wayne mais paranóico a cada episódio, o que atrapalha sua relação com seus aliados, como Asa Noturna e a Mulher-Gato, com quem acabara de dar um passo adiante.

Silêncio foi publicada em 12 capítulos em 2002 e 2003 e causou bastante sensação porque reuniu duas grandes estrelas da indústria: o escritor Jeph Loeb (de Batman: O Longo Dia das Bruxas) e o desenhista Jim Lee (de X-Men). A trama tem altos e baixos, mas conta com boa ambientação, ideias interessantes, algumas inovações e a arte de Lee em seu apogeu, o que transforma a leitura em um deslumbre a cada página.

Jim Lee é famoso pelo traço bonito e impactante tanto quanto por sua lentidão e recorrência em perder prazos, o que faz com que já há algum tempo trabalhe apenas em eventos especiais e raramente assuma uma revista mensal como Batman. Em tempos recentes, ele trabalhou em duas temporadas da HQ da Liga da Justiça, entre 2011 e 2013, contando com outros desenhistas para preencher edições intermediárias. Desde 2011, Lee também é co-publisher da DC Comics, ao lado de Dan Didio, e este ano assumiu a presidência interina da DC Entertainment na vacância deixada pelo escritor Geoff Johns.

Jeph Loeb, por sua vez, tem uma carreira menos linear, mas produziu algumas grandes histórias, além das já citadas, como Batman e Superman: Inimigos Públicos, Superman: As Quatro Estações e a “linha das cores” da concorrente Marvel Comics, como Homem-Aranha: Azul e Demolidor: Amarelo. Hoje, ele é presidente da Marvel TV.

Além de Batman: Silêncio, a DC Comics anunciou outros desenhos animados em longametragem em sua parceria com a Warner Bros. Home Video, como O Retorno do Superman (a sequência da já lançada A Morte do Superman), Liga da Justiça vs. Fatal Five (um combate com um grupo de vilões que são mais associados à Legião dos Super-Heróis) e Wonder-Woman – Bloodlines (Mulher-Maravilha – Laços de Sangue), que pelo título deve adaptar a ótima história de Brian Azzarello e Cliff Chiang publicada entre 2011 e 2013.

Esta última faz uma abordagem moderna da ligação entre a princesa amazona e os deuses do Olimpo, com Diana finalmente aprendendo que não nasceu de um “sopro de vida” dado por Afrodite, a deusa do amor, à sua mãe, Hipólita, a rainha das Amazonas; ao contrário, é o fruto carnal da relação dela com o todo-poderoso Zeus, o maior dos deuses, o que põe Diana em rota de choque com os deuses do Olimpo ao mesmo tempo em que precisa salvar a vida de uma adolescente que também é fruto de uma “escapada” de Zeus e está prestes a ser morta pela vingativa esposa daquele, Hera.

É um bom conjunto de filmes para comemorar os 80 anos do Batman e alinhar com o lançamento de Mulher-Maravilha 1984, também em 2019. Os filmes sairão a partir da primavera do hemisfério norte (por volta de março) e está claro se sairão em vídeo físico como no passado ou irão direito para o novo serviço de streaming da empresa, o DC Universe, que estreia ainda este ano.