Ocorreu hoje, no Hotel Hilton em Nova York, a reunião dos shareholders da 21th Century Fox para bater o martelo e acatar a fusão da empresa com a The Walt Disney Company, numa transação financeira de US$ 71,3 bilhões. Como resultado, o Marvel Studios (que já pertence à Disney desde 2009) e a Fox estão sob o mesmo guarda-chuva, a Disney, e os Vingadores e os X-Men irão se encontrar no cinema no futuro próximo.

A proposta da compra da Fox pela Disney começou em dezembro passado e tinha sido ameaçada recentemente por uma contra proposta da Comcast, que bateu a oferta inicial da Disney de 52,4 bilhões de dólares por outra de 64 bilhões, mas a empresa do rato subiu ainda mais sua oferta e levou o prêmio.

A fusão entre as duas gigantes deverá ser demorada e só se completará em meados do ano que vem. A partir de então, o Marvel Studios irá trabalhar numa estratégia de levar os X-Men para o mesmo universo cinematográfico em que estão os Vingadores, cujo filme-sensação Vingadores – Guerra Infinita deve ser o maior sucesso deste ano e causou grande impacto no mundo todo. Os X-Men, por sua vez, apesar de também pertencerem à Marvel Comics, têm seus direitos cinematográficos pertencentes à Fox, que lançou a franquia nos cinemas em 2000, fazendo sucesso com filmes como X-Men 2, Primeira Classe, Dias de Um Futuro Esquecido, além de derivados, como os filmes de Wolverine e de Deadpool.

Agora, seja dando prosseguimento às suas histórias (pouco provável), seja fazendo um Reboot completo (mais provável), os mutantes e os maiores heróis da Terra irão cruzar seus caminhos nos cinemas tal qual fazem nos quadrinhos há mais de 50 anos.

Para além disso, a Disney passa a ser dona dos canais de TV da Fox, como Fox Channel e FX, e de produtos como Os Simpsons e Família da Pesada, além de todo o conglomerado da National Geography e de partes do canal Hulu e do satélite da Sky. A antiga Fox permanecerá apenas com o Fox News e os canais de esportes, que darão origem a uma nova empresa, a New Fox, cujo acionista majoritário continua sendo Rudolf Murdoch.