dave bautistaA demissão do diretor James Gunn da franquia Guaridões da Galáxia continua gerando polêmica. Gunn foi dispensado pela Disney após virem à tona tuítes com teor de pedofilia e estupro pretensamente embalados em “piadas” de mau gosto. Em resposta, o elenco dos filmes da equipe espacial do Marvel Studios divulgou uma carta pública em defesa do diretor e solicitando sua recontratação, algo que a imprensa de Hollywood garante que não vai acontecer. Agora, em sua primeira entrevista após o ocorrido, o ator (e ex-lutador) Dave Bautista, que interpreta Drax, o destruidor, na série de filmes, disse que não fará o terceiro filme se a Marvel não usar o roteiro escrito por Gunn.

Anteriormente, Bautista – que também participou de filmes como 007 – Spectre e Blade Runner 2049 – foi questionado no Twitter se faria o Vol. 3 sem Gunn, e a resposta foi:

Eu farei porque sou legalmente obrigado a fazê-lo, mas Guardiões sem James Gunn não é aquilo pelo qual assinei para fazer. GDG sem James Gunn não é GDG. Também me dá náuseas trabalhar para alguém que está reforçando uma campanha promovida por nazistas. #cybernazis. É apenas o que sinto.

A referência à campanha nazista é porque os tuítes de Gunn foram divulgados como parte de uma campanha de apoiadores do presidente Donald Trump de extrema direita para difamá-lo, já que o diretor constantemente usava o Twitter para se comunicar com os fãs e normalmente fazia comentários ásperos e críticas severas ao presidente dos EUA.

Por mais lamentável que seja ser vítima de “difamação” por cybernazis, como diz Bautista, Gunn realmente escreveu e publicou (entre 2008 e 2011) os tuítes que escandalizaram Hollywood e levaram à sua demissão.

dave-bautista-as-drax-the-destroyerMas agora, parece que o ex-lutador pensou melhor sobre sua estadia na franquia da Marvel – cujos dois filmes lançados foram grandes sucessos de público e crítica e cujos personagens também têm importante participação em Vingadores – Guerra Infinita e no vindouro Vingadores 4 (que já foi gravado) – e perguntado pelo ShortList sobre o tema foi mais direto e afirmativo:

Ninguém está defendendo seus tuítes, mas isto foi uma campanha difamatória sobre um bom homem. Eu falei com Chris Pratt [que faz Star Lord, o líder dos Guardiões e é o protagonista dos filmes] no dia seguinte ao ocorrido [a republicação dos tuítes] e ele é um pouco religioso, então, queria um tempo para rezar e refletir sobre aquilo, mas eu era mais do tipo: foda-se isso! Isto é besteira! James [Gunn] é um dos caras mais legais e mais decentes que já conheci.

Questionado sobre a permanência em Guardiões da Galáxia (o ator deve mais um filme por contrato), disse:

Minha opinião agora é que se [a Marvel] não usar aquele roteiro [que Gunn estava escrevendo para o Vol. 3, cujo lançamento estava previsto para 2020], então, vou pedir para eles para me liberarem do meu contrato, me cortarem ou me substituírem [no papel]. Estarei fazendo um desserviço ao James se não fizer isso.

Agora, a Marvel precisará de mais tato para resolver a questão, especialmente, se outros membros do elenco se manifestarem de modo similar.

Mas a Marvel usaria o roteiro de Gunn numa situação como essa? Vincularia o nome do diretor a tal obra no futuro? Parece muito difícil…