Morreu ontem, noite de sexta-feira, o músico e compositor Marcelo Yuka, um dos fundadores da banda O Rappa. Ele estava internado no Hospital Quinta D’or, no Rio de Janeiro, há alguns dias por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e sofreu uma infecção generalizada.

Nascido Marcelo Fontes do Nascimento Viana de Santa Ana, no Rio de Janeiro, em 1965, e adotou o nome artístico de Marcelo Yuka e fundou O Rappa em 1992, onde atuou como baterista e também o principal compositor do grupo, que tinha Marcelo Falcão nos vocais.

Yuka era o compositor de algumas das principais canções da banda, como A feira, Pescador de ilusões, Tribunal de rua, Me deixa, O que sobrou do céu, A minha alma (A paz que não quero) e Lado B, lado A (esta última em parceria com Falcão).

Com o O Rappa, Marcelo Yuka gravou os três primeiros álbuns da banda: a estreia homônima (1994), Rappa Mundi (1996) e Lado B Lado A (1999). Em novembro de 2000, Yuka foi vítima de um assalto enquanto dirigia pelo Rio de Janeiro e foi baleado, ficando paralítico da cintura para baixo. Inicialmente, ele ainda permaneceu na banda como tecladista, mas terminou se desligando por não concordar com o direcionamento mais brando que os outros membros queriam seguir. Não foi uma saída amigável e Yuka sentia que tinha sido expulso do grupo.

Yuka transformou o projeto social que já trabalhava, o F.U.R.T.O. em nome de sua nova banda e lançou um álbum em 2005, Sangueaudiência, além de um álbum solo, Canções para depois do ódio, em 2017.

Marcelo Yuka tinha 53 anos, sofreu um AVC no dia 02 de janeiro e seguia internado com uma infecção generalizada.