No início de 1964, a banda britânica The Beatles chegava às paradas dos Estados Unidos pela primeira vez e dava partida a um fenômeno global sem precedentes. E o mês de abril foi o apogeu da Beatlemania, quando o quarteto de Liverpool atingiu dois recordes quase insuperáveis nas paradas de sucesso.

Os Beatles em 1964: McCartney, Lennon, Harrison e Starr.

Os Beatles haviam surgido em Liverpool e conseguido seu contrato de gravação com a EMI (via selo Parlophone) em 1962, mesmo ano em que estrearam em disco com o compacto Love me do. Ao longo do ano de 1963, o sucesso do grupo foi crescendo pela Inglaterra e Reino Unido até dominar toda a Europa no verão. Mas a grande ambição do conjunto era fazer sucesso nos EUA.

E isso aconteceu em 18 de janeiro de 1964, quando o single I want to hold your hand entrou nas paradas da revista Billboard, em 45º lugar. Mas as vendas só cresceram e o compacto chegou ao número 01 das paradas em 01 de fevereiro, bem há tempo da primeira série de shows dos Beatles nos EUA: começando no dia 11 daquele mês, fizeram quatro aparições no The Ed Sullivan Show (o mais popular programa de TV do país) e apenas dois concertos: um no Colliseum, em Washington, DC, e o outro no Carniege Hall, em Nova York.

Os Beatles ao vivo no The Ed Sullivan Show, em 1964.

Basicamente, os Beatles foram os primeiros artistas britânicos a serem realmente um sucesso nos EUA, e chegar ao número 1 deu início ao movimento da Invasão Britânica, quando as novíssimas bandas de rock da Inglaterra dominaram as paradas dos EUA (e do mundo) entre 1964 e 1965, principalmente, dando origem ao rock moderno. Saiba mais num post especial do HQRock sobre isso, clicando aqui.

Foi só o começo: I want to hold your hand ficou sete semanas no primeiro lugar da Billboard até perder a posição para She loves you, que havia sido lançada antes, mas foi “resgatada” pelo sucesso da outra. She loves you havia sido lançada nos EUA ainda em 16 de setembro de 1963, e tinha sido bastante elogiada pela crítica – como a própria revista Billboard e o famosíssimo DJ Murray The K – mas não conseguira sucesso. Quando a outra canção atingiu as paradas, She loves you renasceu: entrou na lista do Hot 100 em 25 de janeiro e chegou ao número 02 das paradas.

Por fim, She loves you tomou o número 1 da Billboard de I want to hold your hand em 21 de março, e passou duas semanas na posição. Este foi o primeiro dos recordes dos Beatles nas paradas dos EUA: foi a única vez na história em que o mesmo artista teve duas canções brigando pelo número 1 do Hot 100.

Primeiro show nos EUA, em Washington DC.

O fenômeno ainda gerou outro recorde, embora desta vez, não inédito: quando a Billboard contabilizou os maiores sucessos de 1964, posicionou I want to hold your hand em 1º lugar e She loves you em 2º lugar, sendo apenas a segunda vez na história em que isso aconteceu, após Elvis Presley ter conseguido o mesmo em 1957, com Heartbreaker’s hotel e Don’t be cruel.

Mas o sucesso não parou aí. Quando She loves you deixou o primeiro lugar, cedeu espaço para Can’t buy me love outra canção dos Beatles! E em seguida, outra canção da banda veio para o número 2, Twist and shout .

Em 04 de abril de 1964, os Beatles bateram seu terceiro recorde: nada menos do que todo o Top 05 da Billboard foi ocupado com canções da banda: Can’t buy me love (1º), Twist and shout (2º), She loves you (3º), I want to hold your hand (4º) e Please please me (5º).

Os Beatles em 1962: gravações ao vivo na rádio estatal.

Com se não fosse o bastante, na semana seguinte, em 11 de abril, a banda atingiu seu quarto recorde: nada menos do que 14 canções dos Beatles ocuparam o Hot 100, das quais 7 no Top 40!

E lá vai: Can’t buy me love (1º), Twist and shout (2º), She loves you (3º), I want to hold your hand (7º), Please please me (9º), Do you want to know a secret (14º), I saw her standing there (38º), You can’t do that (48º), All my loving (50º), From me to you (52º), Thank you, girl (61º), There’s a place (74º), Roll over Beethoven (78º) e Love me do (81º).

E não acabou: a última colocada daquela semana, Love me do, em mais algumas semanas também chegaria ao número 1 das paradas.

Can’t buy me love liderou as paradas por 5 semanas até perder o lugar para Hello, Dolly do grande Louis Amstrong, que ocupou o posto por uma semana; cedeu para My guy de Mary Wells, até que Love me do chegou ao número 1 por uma semana, em 30 de maio.

Em 27 de junho, outra canção de autoria de John Lennon e Paul McCartney, mas interpretada pela dupla britânica Peter & Gordon, chegou ao número 1 por uma semana, A world without love.

Cantando as próprias canções, os Beatles ainda tiveram outros dois números 1 na Billboard naquele ano de 1964: A hard day’s night atingiu o posto em 01 de agosto e ficou duas semanas, e I feel fine encerrou o ano na posição na última semana, de 26 de dezembro.

Dessa forma, Lennon e McCartney colocaram 5 canções de sua autoria cantadas por eles próprios no número 1 e mais outra cantada por outros artistas.

O recorde de 5 faixas ocupando o Top 5 e as 14 canções no Hot 100 só foram quebrados após a Billboard mudar as regras de contagem de discos. Ou melhor dizendo, quando a revista (agora eletrônica) passou a contabilizar downloads, e mais recentemente, vendas online, streamings e performances no YouTube.

Com isso, outros artistas puderam atingir novos recordes.

Recentemente, por exemplo, a banda Queen emplacou 16 canções no Top 50 da parada de rock da Billboard em consequência ao sucesso do filme Bohemian Rhapsody. Mas perceba que é numa lista estratificada e não na geral, com os Beatles conseguiram.

Os Beatles prosseguiram sua carreira de sucesso e se tornaram os artistas que mais emplacaram sucessos no número 1 da Billboard em todos os tempos, 20 canções, além de serem o conjunto musical mais influente do século XX.

A banda formada por John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr se separou em 1970 e nunca mais se reuniu.