A revista Forbes – especializada em finanças – começou a cobrir de modo mais sistemático o mundo do entretenimento – afinal, que negócio pode ser melhor do que o cinema atual? – e não é um veículo dado a fazer especulações. E uma reportagem garante que The Batman e suas sequências irão introduzir Robin, Batgirl, Asa Noturna e todo um universo próprio do homem-morcego nos cinemas, inclusive, se estendendo a derivados (spin-offs).

Dick Greyson como Asa Noturna, versão madura do Robin.

Embora a Forbes não seja muito clara quanto aos detalhes, afirmam que a ideia é que o filme da Batgirl, que está em desenvolvimento, esteja vinculado à esta versão do cavaleiro das trevas e, portanto, é bem possível que uma versão (infantil? Adolescente?) de Barbara Gordon apareça no filme. Lembrando que o pai dela, o Comissário Gordon, já foi escolhido para o longa e será vivido por Jeffrey Wright (de 007 – Cassino Royale e Westworld).

Além disso, a revista diz que o diretor Matt Reeves está decidido a mostrar a história de Dick Greyson na trilogia de The Batman, porém, ainda não escolheu qual o formato irá usar para apresentar isso, nem se o personagem irá surgir como Robin ou como Asa Noturna, que por sinal, tem um filme em “desenvolvimento” há anos. E um longa de Greyson parece distante, com o personagem sendo o protagonista de Titans no DC Universe, o streaming da DC Comics (no Brasil, exibido pela Netflix).

As várias fases de Dick Greyson, de Robin a Asa Noturna, na arte de Nicola Scott.

Porém, esta informação deixa claro que Dick Greyson não irá aparecer em The Batman, já que o roteiro já está pronto, a escalação do elenco já está sendo feita e as filmagens iniciam em janeiro de 2020. Ou seja, não há espaço para uma indecisão desse tipo. A menos que a Forbes não esteja bem informada. Caso esteja, podemos esperar a introdução de Greyson e o arco Robin/Asa Noturna para The Batman 2, lá por volta de 2023 ou 2024.

Além disso, a revista diz que a Warner espera que The Batman dê origem a uma franquia lucrativa do cruzado embuçado ao estilo da Trilogia Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan, com o bônus de gerar um complexo universo de personagens que possam ser explorados em filmes derivados (spin-offs). Ou seja, a DC Films pode manter uma trilogia focada em um Bruce Wayne jovem, tal qual feita por Matt Reeves, porém, usar o personagem como “gatilho” para filmes de outros personagens, como Batgirl ou Asa Noturna; de modo similar a como o Coringa e Arlequina se “despregaram” do universo do Batman de Ben Affleck por meio do filme Esquadrão Suicida. Para isso, usou-se apenas uma participação especial do homem-morcego em algumas cenas.

Aparentemente, o plano da Warner/DC é criar pela primeira vez o universo do Batman nos cinemas; algo que a trinca Batman vs Superman – A Origem da Justiça, Esquadrão Suicida e Liga da Justiça até tentou, mas não conseguiu o respaldo das bilheterias.

Por fim, em outra notícia correlata, o mesmo artigo da Forbes diz que a negociação com o ator Jonah Hill não se completou. O ator queria interpretar o Charada e o estúdio o convidou para viver o Pinguim, mas Hill teria pedido dinheiro demais pelo trabalho e o estúdio fechou as portas.

The Batman é dirigido e escrito por Matt Reeves e estrelado por Robert Pattison. A estreia está prevista para 25 de junho de 2021.