Alguns dias atrás escrevemos sobre a disputa judicial entre a viúva de Chris Cornell e a banda Soundgarden, e agora, outra disputa do tipo ganha as notícias no mundo do rock. Neste caso, porém, a manchete é o fim do processo: a viúva e as filhas de Tom Petty chegaram a um acordo fora dos tribunais.

Segundo o The Blast (via Ultimate Classic Rock), Dana York Petty entrou num acordo com as filhas do ex-marido, Adria e Annakim Petty. A disputa tinha começado logo após a morte do cantor e compositor norteamericano, em 2017.

Segundo os reportes, o conflito resultou no cancelamento do lançamento de uma edição especial do álbum Wallflower em meio à celebração de seus 25 anos de estreia, o trabalho solo mais apreciado do músico.

A viúva de Petty conseguiu capitanear o lançamento de uma coleção An American Tresure, em 2018, e na época disse à imprensa que havia muito material inédito do guitarrista.

Por outro lado, em outras declarações, Dana York Petty afirmou que entrou com o processo judicial contra as entiadas por julgar que elas estavam promovendo uma “triste comercialização” do legado de Petty e fazendo algo que o músico não concordaria.

Não há detalhes do processo ou dos reais motivos.

Com o acordo, o material de Petty deve voltar às lojas com relançamentos e novidades.

Tom Petty nasceu em Gainesville, na Flórida, nos EUA, em 1950, mas migrou com sua banda para a Califórnia e lançou o álbum de estreia de Tom Petty and The Heartbreakers em 1976, que não fez muito sucesso, mas o segundo disco começou a mudar as coisas, You Gonna Get It, em 1978. O sucesso do grupo cresceu ao longo dos anos 1980, embora eles nunca tenham sido muito conhecidos fora dos EUA – à exceção de certa apreciação na Inglaterra.

Com uma pausa nos Heartbreakers em 1987, Tom Petty ingressou no supergrupo Travellin’ Wilburys, que além dele, reunia o ex-Beatles George Harrison, Bob Dylan, Roy Orbison e Jeff Lyne (do Electric Light Orchestra). A banda fez um enorme sucesso e lançou dois álbuns, em 1989 e 1990 – o último sem Orbison, que faleceu.

Em meio à empreitada, Petty se lançou em carreira solo, com o disco Full Moon Fever, de 1989, que rendeu sua faixa mais conhecida no mercado internacional, Free fallin’. Os Heartbreakers retornaram em 1991, mas dali em diante, Petty alternou a banda com alguns lançamentos solo, dentre os quais Wallflower, de 1994, seu álbum de maior sucesso nos EUA.

Pouco após encerrar uma turnê de celebração dos 40 anos de carreira dos Heartbreakers, Tom Petty morreu em 02 de outubro de 2017, vítima de uma overdose acidental de medicamentos, como analgésicos, opiácios e antidepressivos. O médico legista apontou morte acidental e um comunicado oficial da família afirmou que Petty lidava com um enfisema pulmonar e dores muito fortes causadas pela fratura do quadril. Ele tinha 66 anos.