“Se todos os meus shows forem cancelados irei perder minha casa”. O cantor e compositor norteamericano David Crosby fez essa afirmação em entrevista à revista GQ. O músico que fez sucesso nas bandas The Byrds e Crosby, Stills, Nash & Young abre um debate interessante: em tempos de Coronavírus, em que shows e turnês estão sendo cancelados, e sem uma previsão certa de quando irão retornar, o que devem fazer os músicos que tiram seu sustento exatamente dos concertos?

Crosby se queixa de que músicos como ele não recebem mais dinheiro pelas gravações e que seus rendimentos foram reduzidos à metade nos últimos anos, sendo agora os concertos a maneira pela qual se sustenta.

Agora mesmo, estão cancelando os shows do [festival] Live Nation (…). Eles cancelaram até abril. Não falaram nada sobre maio ainda, que é quando estou agendado. Mas uma vez que eu comece em maio, estou trabalhando constantemente até por volta de seis dias antes do Natal. Se eu perder tudo isso estarei em sérios problemas!

Fazer turnês é tudo o que temos. Isto é mesmo a única forma que temos de fazer algum dinheiro. E perder isso é horrível. Eu talvez… Juro por Deus… Eu talvez perca minha casa. Eu não sei o que fazer sobre isso.

O mercado musical mudou radicalmente no século XXI. Do tempo em que grandes estrelas do rock – como a que Crosby um dia foi – viviam como reis, sustentados pela imensa venda de discos e faustas gravadoras e rentáveis turnês; agora, as canções circulam por streaming, num sistema em que são as plataformas digitais quem mais ganham, não mais as gravadoras ou os artistas. E isso vira um problema para músicos de maior idade, como Crosby e seus amigos sobreviventes do rock clássico. E quando uma pandemia mundial se alastra cancelando shows pode virar realmente uma questão grave.

Não é tão diferente da indústria cinematográfica: como sobreviver quando filmagens são paralisadas e estreias são postergadas?

É uma coisa a se preocupar: qual o legado econômico do Coronavírus? Quais os impactos de médio e longo prazo? Quais as consequências à arte?