O que fazer durante o isolamento social causado pela pandemia mundial do novo coronavírus? Fazer lives e brigar com os antigos companheiros de banda, não é mesmo? Há algo melhor? Hoje, o ex-membro do Pink Floyd, Roger Waters usou suas redes sociais para criticar o antigo parceiro David Gilmour por querer “ser o dono” da banda.

Esses dias, Roger Waters divulgou um belo vídeo interpretando a canção Mother, de sua autoria e lançada pelo Pink Floyd no álbum The Wall, de 1979, e pelo o que diz no vídeo publicado no Twitter hoje, quis divulgar nas páginas oficiais do Pink Floyd nas redes e foi proibido.

Waters se queixa no vídeo que quando um fã chega à página oficial do Pink Floyd é por causa de um trabalho coletivo, que envolve os cinco membros da banda, ele próprio, Syd Barrett (que fundou o grupo, mas saiu em 1968 por causa de problemas com as drogas), David Gilmour (que substituiu Barrett), Richard Wright e Nick Mason. E então, é duro:

David pensa que é o dono do Pink Floyd. Ela acha isso porque eu saí da banda em 1985, ele acredita que É o Pink Floyd, e que sou irrelevante e deveria ficar de boca fechada. Todos nós temos direito à opinião.

Em seguida, Waters lembra que, apesar de ser proibido que o material solo dele, de Wright ou de Mason saía na página da banda, o material solo de Gilmour é amplamente divulgado, e até a esposa de Gilmour, a escritora Polly Samson, vem divulgando uma série de vídeos sobre sua família, chamada Von Trapped Family.

David Gilmour.

De fato, não há como negar: a página do Pink Floyd é controlada por Gilmour, que divulga nele seu material solo e de sua família – o que inclui os livros escritos por Samson. Mas o material solo de Waters, o outro mais ativo ex-membro da banda, é banido do sítio eletrônico.

Não é a primeira vez que Waters reclama da prática, já tendo falado sobre isso em entrevistas para divulgar o filme sobre a turnê Us + Them, que realizou entre 2016 e 2018, para divulgar seu álbum solo, Is This the Life We Really Want?, como o HQRock divulgou na época.

Ninguém nega a fundamental importância de David Gilmour para o Pink Floyd: ele foi a voz principal da banda em seu período clássico e sua guitarra é o elemento central da sonoridade do grupo. Também não é pouca coisa Gilmour ter mantido a banda viva nos anos 1980 e 90, após Waters ter saído do grupo, em 1985; mantendo o sucesso e fazendo grandes turnês. Contudo, é preciso demarcar que Waters é quem fundou a banda e foi o principal compositor do grupo ao longo de todo o seu período clássico, sendo a principal força motriz sobre a qual o Pink Floyd se moveu, não somente escrevendo as canções e as letras, mas criando os conceitos por trás de álbuns como Darkside of the Moon (1973), Wish You Were Here (1975), Animals (1977) e The Wall (1979); material a qual é a base principal que sustenta, inclusive, os shows da banda na fase em que foi liderada por Gilmour.

Não seria prejuízo nenhum as páginas oficiais do Pink Floyd dedicarem espaços para as carreiras solo de seus ex-membros, inclusive, porque Nick Mason vem fazendo uma bem sucedida carreira de shows (anterior à pausa obrigatória por causa da pandemia) com a banda Saucerful of Secrets.

Vamos esperar se David Gilmour se manifesta.